Seu blog de Relações Públicas e Propaganda

Mostrando postagens com marcador blog de publicidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador blog de publicidade. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Vida de Empreendedor: Você está vivendo ou está morrendo para trabalhar?

Não há nada mais prazeroso pra um empreendedor do que o próprio trabalho. Aos que são felizes por terem escolhido a própria carreira e o que oferecer para o mercado, sobra alegria, bem estar e saúde para todos os setores da vida. Como seria bom se essas linhas fossem 100% verdade!


Eu escrevo esse artigo por ter um sócio de 27 anos que toma remédios controlados para pressão alta. Escrevo esse artigo por ter um amigo empreendedor e sócio em uma startup que está precisando balancear o dia e a noite, a mando de um médico, e detalhe, ele tem só 22 anos. Eu escrevo esse artigo por ter um cliente, empreendedor, que está afastado de fazer o que mais gosta por ter tido um problema com estresse, com apenas 30 anos.

O que eu quero com esse artigo?

A grande verdade sobre esse artigo é a minha intenção simples de te fazer pensar sobre o seu caminho para o "sucesso". Muitos gurus da área de negócios apontam caminhos para o sucesso, mas, se esquecem que os executores dessas ações são pessoas e que precisamos humanizar a abordagem, pois, o caminho precisa ser tão prazeroso quanto o atingimento das nossas metas.

Aquela pizza depois do horário comercial ou aquele sprint feito de madrugada. Aquele velho corujão no escritório ou, até mesmo, no quarto, na sua casa, acompanhado ou não, com refrigerante, energético ou aquela garrafa de café, tudo isso, é muito mais comum do que a gente pensa. E não, eu não estou dizendo pra você não ficar depois do horário um dia ou outro ou não comer uma pizza com refrigerante, uma vez ou outra, mas, se esse comportamento é recorrente, você precisa rever se o dinheiro vale tanto a pena assim, uma vez que você vai precisar gastar ele pra cuidar da sua saúde depois.

Qual é o seu propósito?

Pode parecer piegas, mas, alinhar seus projetos com o propósito que você tem para a sua vida é o que dará sentido à sua caminhada. Hoje, sou professor universitário (ESAMC), tenho meu escritório de comunicação e inovação, também tenho uma startup (www.namao.me - conheça! hehe) e sou Diretor na Associação dos Profissionais de Propaganda (App Uberlândia), além de ter meus "escapes", como esse blog maravilhoso que você está lendo, há mais de 6 anos. Meu propósito de vida é provocar diálogos nas pessoas, por meio de comunicação, em qualquer meio, e eu faço isso em todos os projetos que me envolvo. Mas aí você me pergunta: Que horas você tem vida social? Que horas você dorme? Bom, eu tenho vida social e consigo dormir numa boa! Eu consigo ter tempo para as minhas atividades e uso, com ajuda da minha noiva, a agenda do Google e, com isso, eu sei das minhas obrigações e do meu tempo livre.

Quais são os seus projetos e sua disponibilidade?

Eu citei meus projetos aí em cima e gostaria que você descrevesse quais os seus projetos. Anote em um papel, cada um deles. Escreva os dias da semana e tente separar, por horas, a sua disponibilidade para cada um deles. Tendo noção do que você tem como "obrigação", fica mais fácil prever o que você vai fazer durante a sua semana. Caso aconteça algo de extraordinário, algo que fuja à regra, você terá mais fôlego pra tomar conta e, como toda regra tem sua exceção, não é problema ficar depois do horário (desde que essa exceção não se torne uma regra).

O que você tem vontade de fazer no futuro?

Convivo muito com gente da minha idade e com gente que tem uma idade mental muito jovem e sempre vejo novidades e movimentos de novos projetos nessas pessoas, e isso é muito bom! Com aquela anotação de "disponibilidade X projetos", você também conseguirá visualizar se aquele seu desejo de fazer algo novo tem espaço na sua agenda semanal. Outra coisa é o objetivo desse novo projeto! Claro que pode ser algo que não está ligado ao dinheiro em si, como por exemplo, um mestrado (que eu também quero fazer) ou algo ligado à filantropia ou à sua comunidade. Nesse contexto também entra o planejamento de tempo que você vai ter, então, antes de tudo, conecte sua agenda ao seu propósito!

Agora tá na hora do café!

Gostou das dicas? Que tal compartilhar com alguém que você tenha contato e que está cheio de ideias de projetos, mas, talvez está sobrecarregado e não sabe o que fazer? 

Espero ter ajudado com esse artigo e espero também que você tenha sucesso em tudo que fizer na vida.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Coluna Canto do Galo | 17/01

A primeira reunião de 2017 da Associação dos Profissionais de Propaganda de Uberlândia – APP, aconteceu dia 12 de janeiro na sala de reuniões da CDL e contou com a presença de mais de 30 profissionais entre associados e convidados.

Uma ótima presença para começar o ano.

A reunião iniciou com a apresentação da Mensagem de Ano Novo com o tema: Juntos, mais fortes e Melhores em 2017 e o Balanço da Gestão 2015/2016.

O primeiro assunto da pauta foi o Projeto da APP Jovem – Banco de Talentos que consiste em criar um espaço virtual onde estudantes e novos profissionais tenham seus CVs / Portfólios disponibilizados para o mercado de trabalho (áreas de Comunicação, Publicidade, Propaganda, Marketing e Jornalismo, Relações Públicas, etc) que será conduzido por Ana Lahor, Maurity Cazarotti, José Geraldo, Adriana Sousa e Johnny Silva Dutra. Além do projeto, outras ações foram discutidas pelo grupo para alavancar a presença da entidade junto aos novos e futuros profissionais.

Em seguida abriu-se a discussão sobre o Planejamento das ações da entidade para 2017 / 2018; todos tiveram oportunidade de expor seus pontos de vista e uma das sugestões foi montar um fórum entre ex-associados, associados - não associados, profissionais de comunicação em geral - para juntos fazerem uma revisão do que pode ser mudado e aprimorado. O objetivo é reformular, renovar e estabelecer novas diretrizes para a entidade.



Todos foram unânimes na importância da entidade, da união da classe, ressaltando tudo de positivo que foi feito nestes quase 14 anos de existência; apesar das adversidades enfrentadas. 

Convocamos todos para outra reunião aberta que será realizada dia 26 de janeiro, para participarem da elaboração do Planejamento 2017/2018 e consequentemente da gestão do próximo biênio.

Contamos com sua presença!

sexta-feira, 11 de março de 2016

Queria contar histórias como as de Renato Cabral

Definitivamente eu ainda não sei como eu não escrevi nada sobre Renato Cabral aqui no blog RP e PP. Pois bem! Muita gente sabe que sou mineiro, de Uberlândia e algumas outras sabem do potencial que essa cidade tem quando o assunto é comunicação. Minha cidade movimenta um mercado interessantíssimo, que é o de propaganda, principalmente com as produtoras, estúdios e agências de comunicação locais, com materiais premiados no Brasil todo. 

Um dos caras que levam Uberlândia na case é o Renato Cabral, especialista em direção de branded content, ações web, clipes e documentários e premiado em vários festivais. Conheci seu trabalho quando eu ainda era estagiário (não faz muito tempo - uns 5 anos atrás). Me lembro de ler muitos textos dele e, naquela época, eu o via como redator, dos melhores!   

Deixando o lado técnico de lado, hoje, me redimindo do erro de nunca ter escrito uma linha sobre o trabalho do Cabral, quero falar sobre a vontade que tenho de contar histórias como as que ele conta. São inúmeras! Não sou amigo do Cabral, nunca fui a nenhum churrasco ou participei de nada que ele estivesse presente, mas, sou seguidor assíduo das coisas que ele produz, seja escrevendo nas revistas da cidade, no seu perfil pessoal do Facebook ou nos seus vídeos que são verdadeiras obras primas. Storytelling puro e verdadeiro!

Depois de assistir: A Vida Que Você Escolheu, um curta sobre motivação; Entre Gigantes, uma história de superação com uma narrativa de tirar o fôlego; Uma Prece Para o Céu, uma história sobre vida, amor e milagres, entre outros, a gota d'água que me fez escrever o post de hoje e falar um pouco sobre a minha admiração foi o seu último filme "A Menina da Gaiola". 

Frame retirado do Filme: A Menina da Gaiola - Renato Cabral

Trata-se de uma história de vida linda, narrada por uma menina de 15 anos, a Ana Clara, que foi diagnosticada, ainda pequena, com amiotrofia muscular esquelética e teve, pelos médicos, a expectativa de vida estimada para os 2 anos de idade. O filme é dedicado aos pais e mães que lutam pela cura dos seus filhos e conta com imagens, trilha sonora, closes, texto e emoções que nos fazem sentir a verdade, o sofrimento, os medos e, acima de tudo, a vontade de Ana Clara em continuar buscando o próximo dia. Assista e veja o que eu estou falando!


Informações

Roteiro, montagem, fotografia e direção: Renato Cabral
Texto e atuação: Ana Clara Moniz
Trilha sonora: Caíque Silveira
Assistência, câmera 2 e áudio direto: João Mota
Desenho de som, tratamento final e locução: A Voz da América

Onde encontro os outros filmes do Cabral?

Renato Cabral - Foto - www.oruminante.com.br

Canal no Youtube: Oruminante Renato Cabral
Canal no Vímeo: Oruminante

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Crise e mudança de pensamento!

Já pensou que a crise econômica e o desemprego pelo qual nosso país está passando são uma oportunidade? Calma, não estou defendendo governo, partidos nada disso, a oportunidade que estamos falando aqui é a de mudança de mindset, ou seja, da forma de encarar e perceber as coisas. Veja bem, a intenção é fazer com que você entenda que, com tantas pessoas buscando uma oportunidade no mercado de trabalho, você precisa se questionar duas coisas: A primeira é: estou realmente valorizando o meu emprego? E a segunda: será que não é a hora de buscar uma outra área?

Na atual circunstância é indispensável pensar se você está, realmente, se dedicando a sua atividade como deveria, pois, na era de corte de custos, a última coisa que você quer é dar motivos para a empresa te desligar por não estar desempenhando bem a sua função, certo? Então, vamos pensar em como gerar a mudança de pensamento e consequentemente de comportamento.

Primeiro, vamos pensar no atual cenário da economia, ou seja, no custo de vida, nos seus gastos, depois disso é preciso ponderar: 

1- esta posição de trabalho satisfaz minhas necessidades? 
2 – Não há outra possibilidade que possa me satisfazer? 
3 - Sou feliz realizando essa atividade? 

Se a resposta é positiva e você quer continuar nesse posto de trabalho, então, o próximo passo é avaliar se o seu desempenho está satisfatório e atingindo as expectativas da empresa, corrigir o que está aquém, ou ainda, como você poderia melhorar. Eu sei, parece muito clichê, mas, no cenário atual, nunca foi tão importante valorizar o emprego e, por isso, se a atividade que você desempenha hoje cumpre as suas expectativas, dê valor a ela e lembre-se que a concorrência pelo seu lugar é grande.

Agora, se sua resposta paras as três perguntas foi negativa, bom, então é hora de pensar em novos caminhos e outras oportunidades. Você deve estar pensando: a autora do artigo ficou louca, largar o emprego? Pondere essa possibilidade (não queremos que você largue o emprego, mas...) além de você não ter suas necessidades supridas, pode prejudicar a empresa, e aí aquele corte de custos logo logo pode atingir você, portanto, vamos partir pra outra? 

Um negócio meu?

Não faltam exemplos de pessoas que perderam ou largaram o emprego e começaram um negócio próprio, ou ainda, mudaram totalmente de área e estão felizes. O importante nesse caso é não ter medo da mudança, seja ela de área, de cidade ou de mercado. Outra dica importante é a capacitação, procure cursos, workshops, orientação, consultorias entre outras opções para conhecer essa nova área e se desenvolver, para assim, conquistar uma nova carreira e satisfazer suas necessidades e ser feliz.

A crise é uma oportunidade de rever seus conceitos, rever os métodos e, principalmente, se reinventar e buscar inovar, seja mantendo a atividade atual ou mudando de segmento. Reclamar não é melhor, não muda, não cresce. A oportunidade está batendo a porta! Você pode abrir e se arriscar ou vai deixar ela passar.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Acabou Jéssica? Os principais tópicos de 2015 para o RP e PP

De primeira, gostaria de avisar que 2015 foi um ano confuso, porém, cheio de aprendizados. No blog RP e PP falamos sobre muitas coisas em torno da comunicação e municiamos os nossos leitores com materiais relevantes, provocativos e, acima de tudo, sem fugir da essência principal deste canal, que é ter textos leves, rápidos e de alto valor. Não sou eu quem estou falando, foram os leitores que disseram! 

Este ano foi o reinício de uma jornada que começou em 2011 e que eu me propus a fazer algo diferente pelo blog, pelos leitores. Voltei após uma conversa com uma leitora que me pediu para voltar e me senti na obrigação de fazer isto depois de ver o RP e PP na barra de favoritos de algumas pessoas. Voltei, principalmente por precisar exercitar com mais afinco, a minha condição de Relações Públicas. Juntar pessoas!


Em 2015 tivemos grandes matérias sobre comunicação, sobre conscientização da importância de fazer planejamento, matérias sobre erros de cálculo de grandes empresas, cobertura e participação em eventos por esse Brasil (coberturas pelo Twitter do RP e PP também) e grandes entrevistas com profissionais renomadíssimos, verdadeiros gênios da comunicação, e isso foi maravilhoso.

Como não se lembrar da matéria que fizemos com o Cristiano Santos, Social Media da Editora Globo! Em uma matéria linda sobre o LinkedIn. Ou então, sobre o Snapchat, uma rede social que ganhou força este ano e que ficou mais fácil de ser entendida na entrevista feita com a especialista Amanda Oliveira. Não paramos por aí e ficamos muito curiosos para saber como uma das startups de maior sucesso no Brasil faz para surpreender os seus clientes, para isso, falamos com o Rodrigo Stoqui, da Sambatech. Batemos um papo muito produtivo, sobre propaganda, com os publicitários premiadíssimos em Minas Gerais, Daniel Labanca e Beto Gussoni. E para fechar este tópico com chave de ouro, falamos com Washington Olivetto, não acredita? Veja aqui!

Poxa! Esse ano foi bem conturbado também...

Tivemos confusões enormes! Quem não se lembra da treta com Zeca Camargo? E a grande repercussão sobre o caso de discriminação na Me Gusta? Entrevistamos o Luís H. Deutsch, responsável pela comunicação da Me Gusta Picolés Artesanais. Outra que entrou para a história e será estudada em Harvard, é a jogada de marketing mirabolante do Burger King. O RP e PP fez uma análise sobre o case! Bom, foram tantos os momentos, que selecionamos apensas os mais repercutidos por aqui.

E não é que também demos muitas dicas por aqui?

Pois é! Falamos sobre Relações Públicas e as nossas possíveis atuações em agências de marketing. Demos alguns toques sobre a crise em uma pequena lista de coisas que você precisa saber para sair dos momentos de pouco recurso! Falamos também sobre publicidade em um artigo rápido com "3 passos para se fazer propaganda no Brasil". Aproveitando esse clima de ano novo, falamos também sobre as principais características do profissional do futuro. Facilitamos as tomadas de decisões em um artigo sobre diagnóstico de marketing e desmascaramos o conceito de qualidade!

Foram tantos artigos bons, mas, acima de tudo, tantos resultados expressivos neste ano que o RP e PP voltou. Tivemos cerca de 55.000 acessos este ano, em uma média de 4.500 acessos mensais, várias citações do blog em outras plataformas, tivemos também entrevistas, palestras, coberturas. Um ano inesquecível para o RP e PP! 

Nós agradecemos, principalmente a você, leitor que confia no nosso trabalho. Nosso agradecimento também às agências de notícias que nos encaminham suas pautas sobre comunicação. Nossa profunda admiração a toda comunidade de comunicadores que se tornou uma fonte de grande valor para este movimento que fazemos, que é o de valorizar e reforçar o papel do comunicador.

Siga o RP e PP nas redes sociais. 


Ano que vem tem mais e com muita novidade por aqui e em outras plataformas! (suspense)

Continue com a gente em 2016!

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

O dia que o RP e PP entrevistou Washington Olivetto!

O cenário foi o Terceiro Fórum de Criatividade e Marketing organizado pela Associação dos Profissionais de Propaganda de Uberlândia (APP) e pelo Sebrae. A palestra desse ano, nada mais, nada menos, foi com o gênio da publicidade brasileira, Washington Olivetto, que é o mais premiado da área internacionalmente e está no hall das grandes personalidades criativas. Todos estavam esperando uma palestra genial e, se me permitem a opinião, os ouvintes saíram do centro de convenções, com uma bagagem que vai além da experiência profissional. 

Tudo começou, quando o jovem de 18 anos, Washington Olivetto estava dirigindo e um pneu furou. Sempre muito inteligente, porém, com péssimas habilidades motoras, o jovem resolveu que, ao invés de trocar o pneu, pediria uma chance para estagiar em uma pequena agência, bem em frente onde estava o carro. Na conversa com o dono da agência, o iniciante Olivetto disse: "Eu queria um estágio, porque o meu pneu furou aqui em frente e eu vou ser muito bom nisso! E essa é uma oportunidade única pro senhor, já que o meu pneu não costuma furar duas vezes na mesma rua".

Na palestra, Washington foi muito bem humorado, falou das premiações, da vontade de continuar escrevendo e criando grandes anúncios, comentou que as premiações o fazem se sentir velho, mas, frisou que não vão conseguir aposentá-lo! "Homenagens são homenagens, mas, o importante é trabalhar", disse. Além das conquistas, ele mostrou cases geniais e revelou algumas estratégias para fazer planejamentos e campanhas darem certo.

Quero compartilhar com vocês!

Proatividade!

Começamos com o tema central da conversa. Proatividade!

Faça! Tenha atitudes que demonstrem a vontade de fazer as marcas dos seus clientes crescerem

Washington citou, entre vários cases que envolveram atitude, um que se tornou recorde no Guiness Book, o Bom Bril. Em sua primeira campanha, em 1981, lançou o garoto propaganda desajeitado, porém, carismático, Carlos Alberto Moreno. Em uma ocasião, Olivetto teve a ideia de fazer uma propaganda que comunicaria a demissão do garoto propaganda, que era o maior sucesso na época e, em uma jogada proativa, trocou o ator por outro, por uma semana. A ideia era fazer as pessoas terem saudades do personagem com uma situação inventada. "Era uma coisa proativa. O cliente nem tinha pedido. Foi feito, foi um sucesso!


Outra campanha que coroou o trabalho de Washigton Olivetto, entre muitas, foi o anúncio de lançamento da Fnac, que ganhou o Leão em Cannes em 2002. O cliente não tinha uma verba significativa e decidiu não fazer comerciais de TV devido ao alto custo, além de não ser um lançamento nacional, porém, em mais um movimento proativo, o publicitário idealizou comerciais de baixo custo, porém, com impacto e linguagem universal. *Dá até uma raiva boa por não ter tido essa ideia!


Tornar a comunicação, parte da cultura popular!

Em uma busca por se diferenciar, desde sempre, Washington Olivetto sempre buscou mais do que um bom slogan e boas falas em um comercial. O grande esforço sempre foi o de tornar toda comunicação feita, uma cultura popular: "O primeiro Valisere a gente nunca esquece", "S de Sadia", "Tudo de BRA pra você", "Cachorro da Cofap", "Bom Bril".


Correr riscos e se manter sempre feliz!

Essa frase foi dita durante a palestra, pelo próprio Washington Olivetto. A ideia é ter coragem! Arriscar! Correr riscos, porém, ter sempre em mente os cálculos necessários. "Uma aventura pode ser louca, desde que os participantes sejam lúcidos!", completou. Outro aprendizado foi a felicidade. Olivetto disse que é importante se manter feliz e manter o índice de felicidade dos funcionários sempre em alta. "Eu prefiro administrar sob tesão, do que sob tensão!", disse em bom tom.

Foram muitos os insigths, campanhas, sucessos, prêmios e vivências citadas pelo grande Washington e, na coletiva de imprensa, eu, sem credencial, tomei a minha atitude proativa. Pedi! "Hei, eu preciso muito entrar aí e fazer as minhas perguntas!". E não é que aceitaram!?! Na coletiva estavam veículos respeitados e profissionais de muito valor e eu, um cara que tremia com o gravador na mão, mas, com uma vontade imensa de perguntar e beber, direto da fonte, um pouco mais da genialidade daquele cara! Foi tudo muito rápido. Entramos na sala, sentamos e logo a assessora de imprensa Fabiana Barcelos me chamou pra fazer a primeira pergunta. Um ótimo susto!

Washington Olivetto e Maurity Cazarotti

Então fiz.

Washington, você deixou bem claro que a proatividade é a principal virtude pra alcançar sucesso nesse meio da comunicação, mas, eu queria saber sobre outros passos e atitudes que o jovem comunicador precisa ter pra ser ou se aproximar do Washington Olivetto?

Ele me respondeu assim.

Bem, a primeira coisa até que eu recomendaria é não tentar ser um outro Washington Olivetto. Tenta fazer uma coisa com a tua cara! Tem um momento que é bom você ser influenciado e tal, mas, faz do teu jeito. Tem alguns pontos em comum que isso eu acho que vale pra todas as gerações e eu diria que é uma somatória de fatores que fazem um bom profissional de comunicação é a somatória de três fatores: Algum talento. Algum, não precisa muito! Alguma sorte e muita vontade de trabalhar! Esses três fatores fazem o profissional de comunicação.

Não satisfeito, perguntei sobre humildade e ambição!

Washington, você é um profissional muito parodiado pelos seus concorrentes (Normal, disse ele) e muito elogiado pelos profissionais que trabalham e que sequer trabalharam com você. Outra coisa que chama a atenção são os diversos prêmios que você já ganhou, não só no Brasil. Então, como administrar a humildade e as próximas ambições?

Ele me respondeu assim.

Tem várias coisas, olha, por exemplo, nesse monte de prêmio que eu já ganhei na minha vida, os que eu mais gostei foram: um que eu fui o primeiro jubilado do Marcas de Confiança, que eu ganhei três vezes seguidas e todas as vezes que se elegeu "O cara mais legal pra se trabalhar" eu ganhei. Todas! Eu aprendi, olha, eu tive uma sorte muito grande de fazer sucesso com 18 anos de idade, porque você fica bobo na idade certa, você fica deslumbrado e nessa idade fica menos ridículo. Sucesso profissional é muito bom e te dá umas coisas bacanas, tipo: ganhar algum dinheiro é ótimo, namorar uma mulherada bonita é ótimo, ser conhecido é ótimo, ir nos lugares é ótimo, mas, a melhor coisa que o sucesso profissional pode dar pra alguém é a possibilidade de ficar amigo dos seus ídolos. Eu tenho o privilégio de ser amigo íntimo dos meu ídolos. São de dentro da minha casa! E isso foi o que o sucesso profissional me deu de melhor e aí você não fica deslumbrado não. Outra coisa que eu, sempre muito esperto fiz a minha vida inteira foi, quando jovem, andar com gente mais velha e, agora mais velho, só ando com gente mais nova! Malandro não é? 

RP e PP Washington Olivetto e Maurity Cazarotti

E foi assim, cheio de graça e respondendo a todas as perguntas que ele me deixou ainda mais fã. Lógico que esse post é um marco pro RP e PP por ser um registro importantíssimo com um profissional de grande renome, mas, é apenas um pouquinho, mínimo, do que se passou no dia de ontem.

Agradeço muito a APP de Uberlândia, na figura do presidente Carlos Magno, ao Sebrae e a Fabiana, da Ares Comunicação, por me deixarem entrar, fazer as minhas perguntas (e eu ainda tinha uma sobre Relações Públicas nas premiações de Cannes kkk - polêmica! ), mas, foi muito bom. Um presentaço de aniversário antecipado!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

A propaganda como ela é! Um bate-papo com Beto Gussoni e Daniel Labanca

Por qual motivo, razão ou circunstância, um indivíduo escolhe fazer o curso de Publicidade? Será que a possibilidade de ter grande a ideia e o glamour publicitário é o que realmente seduz? São tantas as perguntas que eu fui atrás de dois caras que são referências pra mim e para o mercado publicitário, inclusive com trabalhos premiados em festivais importantes, espalhados pelo Brasil.

Um deles é o Daniel Labanca, publicitário com 15 anos de mercado, Diretor de Cena premiado em 2014 nos Profissionais do Ano da Globo e sócio-proprietário da Sanfona Filmes. O outro é o Beto Gussoni. Publicitário desde 1974, sócio-diretor de uma das agências mais respeitadas e premiadas do cenário da comunicação mineira, a R&B Propaganda e inspiração para muitos profissionais da área.

Perguntei para os dois sobre a escolha do curso de propaganda. Pedi dicas para esclarecer as dúvidas de quem está prestes a fazer essa escolha, pra quem ainda não escolheu e, até mesmo, para aqueles que estão cursando uma faculdade, mas, ainda não se acharam ou não possuem experiência de mercado.

Entrevistei os dois à distância, mas transformei o artigo de hoje em um bate papo, quase que caseiro! Veja o que eles falam sobre o tema. Espero que você goste!

Falando sobre carreira e competências, Daniel Labanca (foto) contou que a escolha da publicidade deve se embasar na identificação pessoal e gosto por situações vastamente encontradas no dia-a-dia da área como: desafios, planejamento, inovação, comportamento humano e criatividade. "A área não é recomendada para quem goste de rotina, padrões ou trabalhos individuais", disse.  



Perguntei pro Beto Gussoni (foto) quais as principais dificuldades nessa profissão e a categoria tomou conta da resposta. Ele disse: "Prefiro chamar de desafio, porque aí dá mais vontade de superar. E nesse sentido não dá pra deixar de citar aquela velha companheira sensação de estar sempre correndo contra o tempo. É. O famoso prazo (ou a falta dele) segue como o desafio número 1 e junto dele, senão, o motivo dele, a velocidade em que precisamos nos manter atualizados para acompanhar as mudanças e tendências que envolvem nossa área (e são muitas mesmo). Claro que, com comprometimento e antenas alertas, tudo sempre acontece como planejado.

Sobre esse ponto de vista, Daniel Labanca comentou: "Durante muitos anos a área da publicidade foi retratada por quem está de fora com muito confete e estrelismo, usando-se da impressão de glamour que envolve a mídia, a comunicação e a associação que se faz desse universo com ser bem sucedido. Mas na prática se tornaram bem sucedidos na área aqueles que souberam usar os elementos e ferramentas oferecidos na comunicação para preencher anseios e necessidades do comportamento humano, sejam essas necessidades o comer, vestir, usar, possuir ou simplesmente o status de se sentir pertencente a determinado grupo da sociedade".



Falando em glamour, que é sempre um paradoxo, pelo menos nessa profissão, eu perguntei para o Beto se isso realmente existia. Ele disse: "Só depois de trabalho duro e muito suor. Porque é consequência mesmo. Quem faz bem feito acaba aparecendo, vira referência nisso ou naquilo. Aí tem as premiações, lançamentos. Então, para o bem ou para o mal, publicidade expõe bastante os profissionais. Por esse ponto de vista, sim, pode-se dizer que há certo glamour. Mas é um glamour pago com horas e horas mal dormidas, corridas contra o tempo, litros e litros de café. Muitas vezes a gente não é dono do nosso tempo".

Beto Gussoni frisa que, como a maioria dos profissionais, o publicitário tem que ser dedicado, criativo e preocupado em trazer soluções para o cliente. "O reconhecimento vem atrás", completa.

Agradeço demais a participação desses dois caras que são espelhos de profissionalismo pra mim e, apesar de toda ocupação tiraram um tempinho pra falar comigo sobre esse tema. Gostei muito! Espero que você tenha curtido também.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Instagram e os seus anúncios! Deu o que falar...

Mais uma rede social que entra na onda de "monetizar" a coisa. O Instagram iniciou essa atividade neste mês de abril com apenas oito grandes marcas e já gerou polêmica! Muitos usuários da rede xingaram, falaram mal e se estressaram com a nova forma de abordagem das marcas anunciantes e com o próprio Instagram, mas, nem tudo pode ser de graça o tempo todo e a opção de não receber anúncios está presente no aplicativo (basta que o usuário selecione a opção de não apresentar mais anúncios na imagem patrocinada que for publicada). 


As primeiras publicações que apareceram foram da ClouseUp, Volkswagen, Coca-Cola, entre outras empresas grandes que já possuem know-how em conteúdo para web, porém, muita chateação por conta dos usuários foi notada nos milhares de comentários, que vão desde xingamentos que não podem ser colocados neste post, até mesmo reclamações do tipo: "Meu Deus, agora até no Instagram tem essa palhaçada?", mas, essa "palhaçada" chamada Publicidade e Relações Públicas ainda será mais difundida dentro dessa rede social com a abertura dos anúncios para outras empresas.

A colaboradora do Blog Versátil RP e uma das administradoras do grupo "Estágio / Empregos - Relações Públicas no Facebook, Camila Freitas, disse que "se utilizada com finalidade estratégica, negócios, lindo!" Ela Espera que o Instagram seja mais utilizado para posts estratégicos, nada de "chega de propaganda no meu insta". Para Myrian Connor, Relações Públicas e especialista em mobilizações em rede, "o pessoal peca muito na propaganda". Segundo ela existe muito marketing e falta mais relacionamento! 

E você? O que você acha da onda de anúncios nas suas redes sociais? E como profissional, como você enxerga essa nova possibilidade?

quarta-feira, 25 de março de 2015

Um cliente insatisfeito conta para 11 pessoas a sua insatisfação. Ah tá! Vai ver como é nas redes sociais... por Paola Danyelle

Melhoria do poder econômico e aquisitivo! Pessoas com maior acesso à internet e consequentemente às redes sociais! Plataformas e mais plataformas de interação caindo no gosto popular! Nesse contexto, várias marcas observaram uma oportunidade de se aproximar de seus clientes, promover interações e entrega de conteúdo. Na teoria a ideia é ótima! Estar próximo de seus clientes dialogando e interagindo com eles, mas, nem sempre as empresas conseguem fazer isso da melhor forma e o que poderia ser uma ferramenta de aproximação para as marcas, torna-se um pesadelo para a comunicação.

Recentemente temos vistos vários casos em que marcas consagradas escorregaram na sua comunicação digital e colheram espinhos ao invés de flores. Acontece que como as pessoas estão em redes sociais interagindo entre si e com as empresas, quando a comunicação gera outro significado ou ruído o fato não fica mais isolado e expande-se por todo o ambiente digital. Trata-se daquele velho conceito - Philip Kotler - de que um cliente insatisfeito conta para 11 outras pessoas a sua experiência negativa, mas, nas redes sociais essa escala se amplia, de tal maneira, que fica quase impossível mensurar a quantidade e o nível dos danos de imagem causados.

Campanha Risqué - Foto Divulgação

Poríamos citar vários casos de empresas que, simplesmente escorregaram, mas recentemente, vimos a Risqué, que foi criticada pelo nome escolhido paras os esmaltes da sua nova coleção, demonstrando como uma repercussão negativa pode, literalmente, se alastrar pelo ambiente digital e, em alguns casos gerar opiniões diversas. Outro caso recente envolve a TIM, que lançou um comercial mostrando os benefícios da sua internet em um comercial ao vivo, via 4G - tá certo que a comunicação foi off-line, mas, gerou uma repercussão negativa nas redes sociais, mostrando que os usuários do serviço não compactuam com tal qualidade demonstrada no comercial.

Tão grande foi a resposta dos internautas sob a alegação de que o comercial não retratava a realidade dos serviços que a própria empresa prometeu mostrar o making-off do comercial para demonstrar que o seu 4G, de fato funciona. Até o momento, nada foi apresentado (apenas um Making Of que não prova se a ação foi, realmente, ao vivo - veja).



Esses casos demonstram que, ainda que os profissionais de comunicação sejam os mais adequados e preparados é importante a presença de um profissional de Relações Públicas que faça o constante monitoramento das redes sociais para sondar o ambiente digital, prevenir de possíveis ataques e críticas às marcas entendendo a melhor linguagem e forma de engajamento de cada público e, principalmente, para gerenciar uma situação de crise como ocorreram nos casos citados.
Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © RP e PP | Traduzido Por: RP e PP

Design by Maurity Cazarotti | Blogger Theme by RP e PP

}); //]]>