Seu blog de Relações Públicas e Propaganda

Mostrando postagens com marcador cazarotti. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cazarotti. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 1 de outubro de 2013

RP e PP News

Amanhã, dia 02/10, na ESAMC Uberlândia, o evento Papo com o Mercado, que já é tradição na instituição, acontece às 19hs com o tema Empreendedorismo e Startup, com o palestrante Roberto da Costa Viana - Analista de Negócios e Líder do Comitê de Inovação da Algar Mídia, empresa do Grupo Algar. O RP e PP fará a cobertura pelo Twitter @blogrpepp.

Estudo da Endeavor em parceria com o IBOPE revela:

Ter o próprio negócio é o sonho de três a cada quatro brasileiros, de acordo com pesquisa realizada pela Endeavor em parceria com o IBOPE, o estudo apontou também que o Brasil perde apenas para a Turquia quando o assunto é o desejo de empreender.

                                            Gráfico - Povos X Preferência pelo próprio negócio




Acompanhe a cobertura via twitter no http://twitter.com/blogrpepp
Curta o RP e PP no Facebook

segunda-feira, 4 de junho de 2012

São João Com Fartura


"São João com Fartura oferece a alunos e a população pessoense conhecimento, entretenimento e solidariedade."


O Projeto São João com Fartura é um evento especial constituído em um projeto de caráter didático, realizado desde 2006, desenvolvido por alunos do curso de Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas e Rádio e TV da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, sob coordenação do professor Dr. Severino Alves de Lucena Filho, orientador da disciplina Laboratório de Planejamento de Eventos, com o objetivo de arrecadar e distribuir alimentos não perecíveis aos segmentos carentes da sociedade pessoense.

As festas juninas do nordeste geram sentidos religiosos, profanos e de ações sociais que permeiam o imaginário coletivo e as culturas da população, tornando-se assim, um evento cultural e comunicacional. Na região Nordeste o São João é comemorado nos sítios, nas paróquias, nos arraiais, nas casas e nos espaços da zona rural, nesse contexto, a mesa farta é um dos símbolos desse evento juntamente com os santos juninos (Santo Antonio, São João e São Pedro), fogueiras, danças e comidas típicas. Nas zonas urbanas, o São João, além de ser comemorado através das tradições, também são realizados grandes eventos com atrações artísticas que movimentam os festejos do período junino.

Os múltiplos cenários culturais representados nos espaços plurais onde a festa junina é vivenciada e festejada se constitui uma vitrine para que as organizações públicas e privadas mostrem seus produtos e/ou serviços, agregando sua marca a ações sociais como as do evento: “São João com Fartura: Alimente essa Ideia”.

Desde já ressaltamos o caráter quantitativo do evento, que tem como meta à arrecadação de 5.000 kg (cinco mil quilos) de alimentos que serão obtidos junto a vários segmentos públicos e privados de nossa sociedade. O evento é realizado pela Universidade Federal da Paraíba, Laboratório de Relações Públicas – LARP, estudantes da habilitação em Relações Públicas e Rádio e TV da UFPB, e parceria com o Banco de Alimentos do SESC Paraíba e a CBTU João Pessoa.

Dentre nossas ações estarão a apresentação das peças Dubu, no País das Maravilhas no dia, 20.06; Pastoril Profano no Teatro Santa Roza, dia 03.07 as 20h e para encerrar o projeto teremos O Trem da Fartura e do Forró será realizado no dia 08 de julho, com concentração a partir das 13h na CBTU, estação do centro de João Pessoa. A saída será às 14h com destino a Cabedelo.

Na ultima edição, foram arrecadados mais de quatro toneladas de alimentos não-perecíveis. A meta para 2012 são 05 toneladas, obtidos junto aos segmentos públicos e privados da nossa sociedade. Para isso, os responsáveis pela campanha, empenham-se em busca de novos parceiros e colaboradores na grande João pessoa.

Pauta enviada pela amiga Cândida Luiza.

Faça como a Cândida e mande sua pauta para blogrpepp@gmail.com

quarta-feira, 14 de março de 2012

O Regime e a Comunicação


Algumas discussões assolam a sociedade no século XXI e são assuntos que vão muito além das redes sociais, das novelas globais, etc. Estou falando de uma necessidade da maioria dos seres humanos que vivem, hoje, na terra. Vamos falar da necessidade de fazer regime. Pode parecer algo bobo, mas o assunto pode dar pano pra manga, ainda mais se comparado com nosso dia a dia e, especialmente hoje o RP e PP fará algumas comparações do popular regime com a comunicação e, cremos que, vocês vão perceber que qualquer semelhança, não é mera coincidência.


Para que tenhamos organização na nossa discussão, vamos começar, logicamente, pelo começo. O Planejamento!
O Planejamento é o começo de tudo, nele, decidimos o que vai ser feito, qual caminho vamos percorrer, em quanto tempo. Nessa etapa, a pessoa ainda não pensou na execução e acha linda a ideia de emagrecer cinco quilos em um mês. (Cuidado para não "viajar" nessa etapa).
Na comunicação é exatamente igual. Neste nível verificamos quais são os públicos, a linguagem a ser utilizada, os players, o histórico do setor, quanto investir, orçamentos, retorno sobre investimento e o gestor acha linda a ideia de ter crescimento em vendas logo no segundo mês.
Quantas pessoas não tem uma prima ou uma tia que começa um regime toda segunda feira e pára na terça? Quantas empresas não possuem ótimos planejamentos e péssimos executores. 
Quando faço essa comparação, também quero dizer que não adianta entender tudo sobre regime (quantas calorias tem um pão, uma fruta, refrigerantes) ou saber sobre ferramentas de comunicação como ninguém (propaganda, merchandising, relações públicas), a execução é fundamental.
O regime bem feito não é aquele que te manda fechar a boca, nem a comunicação bem feita, é aquela que está na TV 24hs por dia. Isso quer dizer que temos que saber dosar. Comer de três em três horas em pequenas porções equivale a fazer um plano de mídia que não canse o público com sua mensagem, por exemplo. 
Seguir o cardápio pode ser comparado a pegar o que está escrito no plano de comunicação e fazer o que está escrito. Conseguir emagrecer pode ser comparado ao atingimento da meta, satisfação do cliente, aumento das vendas, ganho de imagem...
Feitas essas comparações, chegamos à conclusão de que não adianta fazer regime só para parecer bonito, ou como diria a minha mãe, parecer "esbelto". 
Deve existir uma preocupação com a saúde, bem estar e qualidade de vida, para que seu corpo aguente o dia a dia, ature os resfriados, viroses, etc. 
Fazer comunicação também não é só pensar em parecer bonito para o público, é construir imagem perante os mesmos (imagem positiva) e ser cuidadoso no que diz respeito à saúde da empresa, para que a corporação aguente o dia a dia, ature as pequenas e as grandes crises. 


Como diria aquela propaganda de Shake: Emagreça com saúde!


Siga-nos no twitter 
Curta nossa página no Facebook, clicando aqui!



segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A adolescência e suas "Relações Públicas"



Não faz muito tempo que saí da adolescência, talvez seja por isso que o assunto veio tão quente e legal de se falar na minha mente e  também creio que não exista exemplo melhor para se falar de imagem e suas vertentes. Digo isso pelo simples motivo do adolescente buscar incessantemente uma posição em algum lugar e dentro de qualquer grupo, ou seja, esse indivíduo procura ser aceito o tempo todo, não somente pelos amigos, mas, em todos os níveis de convivência.


Na escola, por exemplo, os grupos já se formam dentro da sala de aula, com os populares grupos do "fundão", os "nerds" que sentam na frente, as meninas "patricinhas",  os chamados "playboyzinhos", os "pegadores" os "matadores de aula", os "barra pesada" os "atletas da sala" (que sempre formarão o time da interclasse), e por aí vai. 
Perceberam quantas divisões nós temos quando somos adolescentes? Talvez seja por isso que encontrarmos dificuldades de nos posicionarmos e formarmos uma identidade e, por consequência, encontramos a dificuldade de passarmos uma imagem. 


O adolescente sofre com sua própria identidade ou com a falta dela, de formar uma personalidade e de se posicionar. Isso também acontece com as empresas, sejam elas novas ou antigas. Algumas tem dificuldades de se posicionar e mostrar qual o seu diferencial competitivo e assim como o adolescente, as empresas precisam encontrar qual o seu grupo e, às vezes, isso demora a amadurecer.


A adolescência, por si só, traz essa imagem de confusão, de busca de pertencimento a algum grupo, de idealismos que se modificam, de desespero em se mostrar seguro enquanto se é o mais inseguro dos seres. O adolescente trata seus stakeholders à distância, pois, deixa uma margem para seu próprio conhecimento e, seu manual de crise, contempla quartos fechados, internet, muitos xingamentos no twitter, a busca de memes que representem um estado atual, a busca de likes na vida real, alguém que os entenda em alguma parte. 

Essa última parte pode até ter cheirado poesia, mas é a pura verdade! Precisamos sempre buscar um meio termo entre duas ou mais partes, procurar nos entender com nossos públicos de uma maneira harmoniosa e direta, de maneira a aproximar nossos vínculos e isso não é nada fácil. Não estou generalizando e nem mesmo querendo dizer que toda pessoa nessa faixa etária é problemática, mas, o adolescente se fecha muito em seu mundo e na busca incansável de tentar entender o outro e acaba esquecendo que ele tem que ser participativo com ele mesmo, conhecer a si próprio, ser "Relações Públicas" dele mesmo.


E nós nem falamos das espinhas!
Curta nossa página no facebook clicando aqui
E opine aqui no blog...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A incessante busca por Luiza



Quem não viu nesses últimos dias a história de Luiza que estava no Canadá? Quem aqui não viu piadinhas sobre o assunto em suas respectivas redes sociais? Pois então! Este é o principal motivo que nos faz escrever sobre um novo movimento nas redes sociais. Você está pensando que vamos analisar o caso Luiza? Nã... não! Estamos falando da busca incessante por memes...
Depois de tanto se falar que a língua portuguesa está cada vez mais sendo deixada de lado na internet, fazendo com que o termo internetês apareça junto com suas abreviações, os memes são a bola da vez para os que procuram se expressar de maneira rápida, debochada e muitas vezes engraçada. 
A utilização dos memes na web chega para tirar um pouco do peso e da responsabilidade de se escrever, isso mesmo, esses símbolos vieram para afirmar a velha máxima de que "uma imagem vale mais do que mil palavras".
Assistindo a uma palestra sobre redes sociais, há algum tempo atrás, o palestrante disse a seguinte frase: "A internet está cada vez mais visual e menos textual". Pode-se perceber que os jornais eletrônicos já se utilizam de mais imagens para ilustrarem suas matérias, as redes sociais e os blogs também caminham para essa linguagem, pois, assim como existe uma certa preguiça de se escrever, também encontramos, infelizmente, uma aversão à leitura na web.
Aí que as imagens entram, aí que a Luiza entra! Explicando, é aí que cada vez mais as pessoas viralizam novos memes e tornam o trabalho das pessoas ainda mais fácil e preguiçoso. Claro que não estamos generalizando ao falar que todos utilizam os memes como fuga da escrita, estamos falando que eles aparecem como forma de facilitar a conversa das pessoas, assim como os primeiros memes que apareceram na história da humanidade, as chamadas pinturas rupestres, ou a pintura dos homens das cavernas. Pode até ser uma comparação estranha, mas é como se fosse uma regressão, ou quem sabe, seja uma evolução para um novo tipo de escrita, a escrita dos memes. Nos casos das imagens utilizadas para ilustrar esse post, o RP e PP fez uso dos memes acima para chamar a atenção e poder, de alguma forma, alavancar o número de visualizações do blog. Confessamos que o resultado foi bom e que nos economizou em palavras, pois, antes, utilizávamos de explicações ou colocávamos pequenos trechos de postagens. Os memes foram uma saída bem humorada e rápida para dizer que o blog estava lá e que nós nos comunicamos de acordo com a linguagem que a maioria adotou para aquele momento. 


Opinião

  • Nosso leitor e graduando em Relações Públicas, Danilo Mendes Arantes, disse que não acredita que os memes sejam uma fuga da escrita, mas sim uma forma simples de retratar o cotidiano aliado com a diversão de algumas situações.
  • Victor Seiti Yonemura, designer gráfico, disse que o meme é uma ótima representação cômica do cotidiano, sentimendo e pensamento das pessoas
  • Adriana do Amaral, jornalista, disse que todo código tem seu espaço, desde que não gere o esquecimento das formas escrita ou falada da língua corrente. 
  • Paola Danyelle, estudante de Relações Internacionais, apontou a facilidade que o meme tem de comunicar em diferentes línguas. "Muitas vezes não é preciso falar outra língua para entender o que um meme diz, suas mensagens, na maioria das vezes, são globais".
  • Marcos Masini, jornalista, brincou:  "Falar de meme, essa semana, virou um meme? =D Bom... o meme é algo bacana (ou não), descontraído (ou não) que cai no gosto das pessoas e ganha vida. É uma brincadeira. E, brincar sozinho, não tem graça. Por isso um vai passando pro outro, até encher o saco, convenhamos. Até porque sempre chega gente atrasada para brincar quando a gente está cansado e já partiu pra outra brincadeira. Crianças não são assim? O problema são os extremos. Viver de memes não leva a gente a lugar nenhum e tudo fica supérfluo. Assim como ouvir as sinfonias de Bach o dia todo, a semana toda, a vida toda. O mundo é MAIS do que isso. Mas não pode ser só MENOS do que isso."
Veja no exemplo abaixo: Campanha da Influx, escola de idiomas.






Deixe sua opinião no nosso twitter @blogrpepp, no nosso email blogrpepp@gmail.com ou então no facebook clicando aqui!
Grande abraço pra todo mundo que gosta de RP e PP, e até pra Luiza que já voltou do Canadá!


Uiiiii!!! Luiza Chegou, bebê.


domingo, 8 de janeiro de 2012

Domingão Papelão


Para alegria da grande maioria, o Domingão Papelão está de volta com algumas pérolas da propaganda mundial e eu arriscaria dizer que as que vamos apresentar aqui hoje são totalmente internacionais.


A primeira chega com o status internacional do treinador Joel Santana, que ganhou fama de falar inglês "cariocado", e que por essa mesma fama adquirida, vem para o Domingão Papelão junto com a Pepsi, marca que soube aproveitar muito bem as características do treinador, que além de ser "bilíngue", também é um cara bem humorado. 

Pode to be?



O próximo papelão desse domingo vai para uma cidade internacional, que é, Ducks Mine, ou Patos de Minas para os mais íntimos. A propaganda é da Patos Lubrificantes, que é um auto-center, e agora, mais do que nunca, está famoso por tentar fazer uma propaganda dizendo que não faz propaganda, por achar que propaganda é coisa enganosa. Sem falar que existe um trocadilho com a expressão "troca de óleo" muito das... Achou confuso? Veja só!



Você pode mandar um link de propaganda ou ação que foi um verdadeiro papelão pra gente no twitter @blogrpepp, no facebook clicando aqui ou ainda pelo e-mail blogrpepp@gmail.com. Mande também suas sugestões, críticas, ou seja, tudo o que você achar legal e que caiba nos assuntos de Publicidade e Relações Públicas.


Que papelão!

sábado, 30 de abril de 2011

Videozinho da semana


Este Videozinho da Semana é uma homenagem para todos os Relações Públicas do Brasil, que são, de acordo com estudos sobre profissões, a segunda profissão mais estressante entre as profissões menos comuns, é mole?
Então, para você que se desdobra para comunicar com todos os públicos, os chamados stakeholders, nossa homenagem de hoje.

Veja!

Trilha: "The golden age" da banda The asteroids galaxy tour.

Vídeo indicado pelo nosso parceiro Antônio Juan

Siga o @blogrpepp no twitter

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Transformar PDV em PDR


Anotar ou simplesmente tirar pedidos é passado, os consumidores aprenderam com o tempo a serem exigentes nas compras que fazem a ponto de darem valor às experiências vividas no que cerceia o mundo do consumo.

O PDV, ou Ponto de Venda, não deve ser uma arma utilizada apenas para fechar as sonhadas vendas, mas também deve possuir eficácia na construção de relacionamentos, o que o torna um PDR certo? Quase.

Para que possamos transformar o PDV, Ponto de Venda, em PDR ou Ponto de Relacionamento, precisamos mudar o foco e modificar o que antes eram números, em qualidade, para gerar mais números. Entenderam?
Precisamos então focar no cliente e não no produto, pois nossa necessidade é fazer com que esse consumidor volte para o PDV, que agora deve ser o ponto que realiza os sonhos desses consumidores.
Disney Store

A Disney é um exemplo que os sonhos são possíveis de se realizar, quando vamos ao parque, ou compramos seus produtos, coisas que são tangíveis, logo se transformam nos mais puros e abstratos sonhos realizados.

No mundo onde a variedade é imensa e as percepções cognitivas estão cada vez mais reduzidas, a necessidade de diferenciação fica cada vez maior. Se diferenciar por produto, por preço, ou por qualquer outra coisa tangível pode ser o início de um fim. 

A maior varejista americana de eletroeletrônicos, a Best Buy, realiza um trabalho exemplar com seus clientes, estreitando a relação que o próprio varejo não é acostumado a ter com seus compradores.

Vendedores Best Buy

Os vendedores são treinados para realizar um trabalho de aproximação com seus clientes utilizando as redes sociais de maneira a tirar dúvidas sobre tecnologia, realizam pesquisa sobre como cada comprador utiliza seus produtos e como eles podem melhorar o desempenho dos  aparelhos. Isso torna cada vez mais o cliente parte do negócio e o foco que antes era no cliente, se transforma em esforço para entender o foco do cliente.

Fazendo uma alusão ao livro "A estratégia do Oceano azul":

Oceanos vermelhos são aqueles onde as regras do jogo são conhecidas, o mercado é competitivo e uma empresa tenta “matar” a outra, “ensanguentando” o oceano, transformando-o em oceano vermelho.
Oceanos azuis são aqueles onde as oportunidades são grandes, os espaços para inovação também são grandes, porém imprevisíveis. O oceano azul é um lugar a ser desbravado, as regras do jogo ainda não são conhecidas, fazendo com que a inovação seja o mantra principal da estratégia.
O autor faz uma pergunta:
Como uma empresa será capaz de transpor os limites do oceano vermelho da competição sangrenta? Como poderá criar oceanos azuis?
Talvez a resposta seja dar a atenção devida para o consumidor e não canibalizar o mercado com condições de pagamento, promessas de menores preços e etc. Quem sabe esse seja o ponto de partida para a descoberta de oceanos azuis. 


Faça do cliente um oceano azul

domingo, 13 de fevereiro de 2011


Ipad






Pois então pessoal, apresentamos alguns vídeos do Ipad para que vocês possam visualizar a grandeza que é dada a esse produto nos comerciais Apple, assim como todos os produtos que a marca produz.
A Apple possui um jeito todo diferenciado de tratar seus produtos, desde seus lançamentos, Steve Jobs costuma convocar a imprensa especializada e os formadores de opinião para assistir as maravilhas que a "Maçã" pode fazer, o que pode ser arriscado, pois na maioria das vezes os produtos ainda estão em fase de teste. (Veja o que aconteceu com a apresentação do Iphone 4).


Para confirmarmos toda essa adjetivação por parte do Mr. Jobs para com seus produtos, vamos mostrar o vídeo de lançamento do Ipad. Veja e confirme.





Maravilhoso!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Clique do Leitor



Pessoal, sabemos que a falta de entendimento sobre construção de imagens pode gerar um certo desconforto tanto para quem cria e/ou utiliza, mas principalmente para quem pode ser comprador de produtos e serviços.


A marca é o cartão de visitas de toda empresa, nela, podemos fazer um raio-x positivo ou negativo acerca do que vemos. E se o que presenciamos não é nada agradável, podemos então escolher por não utilizar do que é oferecido


A leitora, Fernanda De Zoppa, nos enviou seu clique e gostaríamos de partilhar com vocês, trata-se de um grupo que investe capital na bolsa.

Foto de Fernanda De Zoppa

Pode não significar nada para alguns, para outros uma parte da tabela periódica, onde o Cobre é o elemento em questão, mas quantas pessoas se lembrarão do cobre na hora de ser impactado por essa imagem?



E você, onde está investindo seu dinheiro?

domingo, 30 de janeiro de 2011

A moda do Currículo Criativo



As gerações mudam, os costumes mudam, funções, objetos, tudo muda. Até o velho e bom currículo está mudando. Em áreas onde o conhecimento e a criatividade dominam, o chamado currículo criativo é a bola da vez.
Esse tipo de currículo serve não só para que o candidato à vaga demonstre suas habilidades criativas, mas serve também para quebrar um pouco do gelo que existe nas entrevistas de emprego. Quando a pessoa se solta e se empenha para construir um belo currículo criativo, alguns medos podem ficar para trás, ou melhor, a ansiedade e o nervosismo podem ser minimizados.


Teremos alguns exemplos criativos de currículos, onde o candidato usou de artifícios e abordagens diferentes para tentar "abocanhar" uma vaguinha.



Vejam esse vídeo que ficou realmente espetacular do Antônio Juan. Ele utilizou a técnica de Stop Motion, combinada com uma narração muito legal, sem falar no sincronismo das imagens apresentadas, mostrando tudo que a vaga pedia.




Ainda nessa linha, temos o vídeo da Maria Angélica, que inclusive ainda está concorrendo à uma vaga na agência Wik, uma agência digital, especializada em relacionamento na web. 

Maria Angélica conta que surgiu uma vaga na @AgenciaWik de analista de mídias sociais e que deixaram bem claro que não gostariam de ver currículos convencionais. A pessoa teria que os surpreender para ter a vaga.


"Sem hesitar comecei a ter um brandstorming. Peguei uma folha de papel,mas logo a deixei de lado e fui digitar. Quando percebi já estava gravando um vídeo, mas não um vídeo qualquer e sim o do meu currículo." 



Maria Angélica completa dizendo que na hora de fazer um currículo, o contratante não esta preocupado  com os números do seu RG, CPF, ou se você saiu bem em uma fotinha 3x4 e sim o que você tem para oferecer para eles, referindo-se ao campo de dados pessoais, onde muita gente dá maior importância colocando sempre acima de todos os outros dados. 



Veja o currículo criativo da Maria Angélica e ajude-a a ganhar a vaga!



"Agora a Wik tem a  oportunidade de ver quem é a @Maria_AngelicaG e esta foi uma forma diferente de inovar. Quero muito a vaga, mas se porventura não for este o momento, quem disse que eu vou desistir? A ousadia de inovar e arriscar me fez querer ir mais longe ainda." Maria Angélica.



E você, o que fez de diferente para conseguir um emprego?

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

As redes sociais e as imagens individuais



As empresas estão cada vez mais preocupadas com suas imagens na web. Essa afirmação é verdadeira! 


E você? Você se preocupa com a sua imagem? O que você anda escrevendo? Suas fotos? Quais comunidades você participa? Essas são perguntas que devem ser respondidas para melhorar sua vida na grande rede.


Como diria Fausto Silva, mais do que nunca, a imagem, o marketing pessoal é uma ferramenta que abre portas para oportunidades. Milhões de pessoas possuem perfis em redes sociais, participam de comunidades, postam fotos nos famosos álbuns dessas redes e se mostram para amigos e principalmente não amigos. 


As perguntas feitas no primeiro parágrafo são um breve questionário para que você possa se situar sobre o que é o marketing pessoal na web, logicamente que não é só, mas já é um bom começo.
Empresas de grande porte estão utilizando as redes sociais não só para se relacionar com o seu público alvo, mas sim para observar o seu perfil. Caso você participe de alguma comunidade com título estranho ou tenha fotos nada agradáveis, com certeza você é carta fora do baralho.




Alinhar os discursos da vida virtual com a vida real pode ser uma boa saída. A imagem deve ser única, sem precedentes, não precisamos mostrar mais e nem menos do que somos, precisamos mostrar a verdade que vivemos, não revelar intimidades, nem mostrar retração. 


Revele o que você tem de bom!


 Vamos discutir sobre? Deixe seu comentário!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O Publicitário



O que será que essa pessoa faz nas férias?


Ideia de Publicitário


Com certeza o publicitário é um ser diferente dos demais. Enquanto você pessoa normal vai à praia, aproveita para dormir até mais tarde, faz cooper, começa um regime e etc, o publicitário pesquisa os lugares novos que abriram na cidade, podendo ser: um restaurante novo, um supermercado, um shopping, um lava rápido, ou seja, uma coisa qualquer que tenha uma caixa registradora e gere lucro no final do mês.


Qual o motivo do publicitário fazer isso?


Enquanto você, pessoa normal, com pressão arterial 12 por 8, tenta descansar a cabeça e fugir dos problemas, o publicitário não para de analisar o mercado. Aquela nova loja que ele visitou ou o restaurante que ele foi servirão para que ele faça uma pesquisa pessoal de satisfação e logicamente fará também sua matriz competitiva cruzando dados como atendimento e preço para medir o custo benefício daquele lugar. Como já dissemos esse "ser" é complexo.
O publicitário faz isso inconscientemente, alguns chegam a ser tão loucos a ponto de saberem quanto um supermercado fatura por ano pelo número de checkouts que o estabelecimento possui.


Tá aí o motivo da grande maioria das pessoas serem vítimas do marketing...


Enquanto você monta sua piscina de 1000 litros, descolore os pêlos do corpo e faz aquele churrasco no quintal de casa, o publicitário leva o carro no lava rápido que acabara de abrir, enquanto lavam seu carro ele dá uma volta no shopping novo, passa no restaurante que inaugurou semana passada e depois pega o carro para fazer suas compras no supermercado de uma rede nova na região, tudo para saber o que você está consumindo. 
Na verdade ele até gosta de almoçar fora e fazer suas compras, mas gosta mesmo é de dinheiro, dinheiro que vem honestamente por meio de pesquisa de campo realizada em período de alta demanda.


E o aspirante a publicitário?


O estudante publicitário, legal falarmos sobre os de começo de curso, saem com suas namoradas em locais que viram em anúncios, comem comida saudável mesmo sem gostar.
O estudante que ainda não tem renda fixa pede dinheiro para o pai, fazem programas geralmente em grupo, mesmo sendo individualistas.
Depois eles se formam e começam a fazer o que um publicitário de verdade faz. TRABALHAR! O TEMPO TODO.






Ser publicitário é bom, mas cansa!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Relações Públicas ou Jornalistas



Pessoal, vamos falar sobre a importância do papel desses dois profissionais na área de comunicação, mais precisamente no campo de assessoria de imprensa.


"A atividade de Assessoria de imprensa começa no Brasil com o Presidente Nilo Peçanha, em 1909, segundo o Observatório da imprensa." 




Conversamos com as RPs Fernanda Wieser e Marcia Neiva para sabermos sobre suas opiniões quanto participantes do mercado de assessoria, afim de ajudar os futuros profissionais dessas áreas a seguirem o melhor caminho. 


Perguntamos: Qual é o papel da Assessoria de Imprensa?


Fernanda Wieser - É estabelecer um elo entre organizações privadas, públicas e do terceiro setor e veículos de comunicação. Os profissionais que exercem a função de assessor de imprensa trabalham com a informação propriamente dita, e cabe a eles achar a melhor forma de repassá-las aos veículos de comunicação. O assessor de imprensa é responsável pelo atendimento às solicitações dos meios de comunicação e também pela elaboração e despacho dos releases e outros produtos de sua assessoria.


Perguntamos: Quais são as vantagens de se ter um RP a frente de uma assessoria?


Marcia Neiva - O que pude observar todo esse tempo é que o Profissional de Relações Públicas possui uma visão mais ampla do que seja a assessoria de comunicação, enquanto que o profissional de jornalismo, embora mais preparado para lidar com a imprensa, não possui essa amplitude. O profissional de RP não consegue deixar de fazer relações públicas em nenhum momento de sua vida. Quando ele entende o significado disso e abraça essa filosofia, jamais separa isso da própria vida pessoal e Fernanda Wieser. Pensa que o profissional de RP é a pessoa correta para fazer o “meio de campo” entre empresa e veículo de comunicação, gerenciar este relacionamento e possíveis crises – afinal, ninguém está imune.

Perguntamos: Existe alguma competição entre os profissionais de RP e Jornalismo?

Fernanda Wieser- Não sei se competição é a palavra correta, mas existe sim há muitos anos uma “discussão” entre profissionais de relações públicas e jornalismo a respeito de qual profissional deve exercer a função de assessoria de imprensa. Em 2007, ao entrar na faculdade, eu pude presenciar na turma de calouros de ambos os cursos, essa discussão. Esta é uma discussão interminável. Eu não vejo a atividade de assessoria de imprensa como sendo exclusiva para os profissionais de relações públicas, mas sim, para aquele que possuir maior aptidão e competência para exercê-la, sendo jornalista ou relações públicas. 


Há jornalistas que exercem essa função com excelência, e eles tem sim um diferencial do profissional de RP: praticam muito mais a escrita durante a vida acadêmica. Embora não só de escrita seja feito o assessor de imprensa, é importante saber relacionar-se bem com os públicos dos veículos, sejam eles jornalistas, redatores, editores, fotógrafos, a fim de orientá-los para tirar melhor proveito em prol da empresa para que se preste serviços. 
Será que o assessor de imprensa perfeito seria metade jornalista e metade relações públicas? É de se pensar...

Perguntamos: Qual o maior desafio desta área?

Marcia Neiva - O maior desafio da área, acredito que seja atingir os objetivos da empresa (do órgão, instituição) sem contrariar a ética profissional e seus princípios pessoais.

Conselhos de quem entende do assunto:

Fernanda Wieser:
O jornalista deve sim, buscar características que são comuns no profissional de RP, para oferecer um serviço homogêneo de assessoria de imprensa. 

Marcia Neiva:
É imprenscidível a atualização e a aceitação de que nessa área tudo é muito dinâmico. Muita leitura, muitos cursos complementares e viver antenado com o mundo.



Conheça melhor!

Marcia Neiva é Relações Públicas, redatora e assessora. @MarciaNL. http://marcianeiva.blogspot.com/


Fernanda Wieser é Relações Públicas e marketing da Guepardo - www.guepardo.net @FeWieser http://falamosdemoda.blogspot.com 

domingo, 16 de janeiro de 2011

Trilhas Sonoras na Propaganda


Falamos em uma das nossas postagens anteriores sobre o poder das imagens em anúncios e o quão chamativo esse recurso é. Imagine agora essas figuras, as tais imagens que valem mais do que mil palavras, associadas a trilhas sonoras, isso pode mexer ainda mais com o imaginário do público e nos fazer perguntar a nós mesmos se aquela propaganda seria a mesma sem aquela música ou efeito sonoro. 

Faça uma viagem dentro de você e pense que para quase todos os momentos, temos uma trilha sonora: o primeiro beijo, aquela festa inesquecível, o encontro entre amigos ou até mesmo aquela batida ouvida no meio de milhares de pessoas. Agora imagine esses sons ligados a uma marca. Isso faz com que você enquanto consumidor viaje até aquele momento feliz e associe essa marca na sua vida como algo positivo, mesmo sem ter experiências com essa marca.

O mesmo acontece com os sons que tomamos como negativos: trilhas que nos acompanharam em finais de namoro, perdas de entes queridos ou até mesmo ritmos, cantores ou bandas que não gostamos. Vejam que as ligações podem ser feitas de acordo com os gostos e sensações e a importância de uma trilha sonora aumenta nesse momento, podendo ser determinante na fixação da mensagem na mente do cliente.

Quem não se lembra da propaganda do Guaraná Antártica, onde a pipoca era a principal estrela daquele anúncio?




Da música que fez com que o mundo todo soubesse como era feito o big mac?



Como não achar fofas aquelas crianças pedindo Danoninho no horário nobre? 






Mas também temos trilhas sonoras que não agradam nenhum pouco, não vamos comentar aqui, pois isso pode cheirar à opinião isolada (Comente qual foi sua trilha negativa). 

Décadas atrás ainda tínhamos com maior frequência os jingles, que são peças publicitárias direcionadas para o rádio e contém músicas, que falam com o público de uma maneira mais intimista, fazendo com que o mesmo se aproxime mais dos produtos da empresa e dos seus serviços prestados. Temos casos que esses jingles se transformaram em verdadeiros hits e simplesmente ficam na boca do povo e assim como na TV também temos aqueles que são odiados ou simplesmente caem no esquecimento.






Não existe uma fórmula para a escolha de uma trilha sonora, assim como também não existe trilha sonora que venda produtos. Anúncios bem feitos, propaganda, não vendem produtos. 


Os esforços de comunicação são instrumento de incentivo ao consumo, as imagens, trilhas sonoras e outros recursos como: edição, efeitos especiais, entre outros, são artifícios utilizados para gerar esses incentivos.


Qual é a sua trilha

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O guardião dos valores corporativos



Na comunicação interna a presença de um mascote proporciona uma intimidade entre a organização e o público internopois a mascote personifica a empresa e a representa visualmente gerando maior assimilação da mensagens das declarações institucionais  

(Tux, mascote do Sistema operacional Linux)



A mensagem transmitida por meio do personagem, criado em compatibilidade com a cultura do público interno, torna mais eficaz a transmissão das mensagens que a organização deseja passar. É importante que haja identificação do público com a mascote, ele precisa realmente fazer sentido no ambiente organizacional. 


De acordo com a professora Adriana Sousa, do curso de Relações Públicas da ESAMC, o mascote é como um guardião dos valores corporativos, tendo sua imagem associada aos princípios e objetivos da organização, instruindo e reforçando as mensagens. Sempre que ele aparece na comunicação interna a receptividade do público é maior pela forma lúdica como a mensagem pode ser transmitida.


O famoso franguinho da Sadia é um bom exemplo de personificação da marca. Ele surgiu na década de 70 para criar maior empatia com a dona de casa e é sucesso até os dias atuais. Transmitindo a idéia de rapidez e praticidade de uma forma lúdica e encantando adultos e crianças, atualmente o Mascote Sadia é o porta voz oficial da empresa na sua comunicação. 
O mascote também desempenha seu papel em situações difíceis dentro das empresas, se ele consegue ganhar vida a informação vinda por ele é melhor aceita, pois em sua trajetória ele sempre preservou pelos valores corporativos como um elo entre a organização e os seus públicos.


Muriel Marques é aluna de Relações Públicas na ESAMC Uberlândia, possui um blog, o http://atelienavaranda.blogspot.com e é leitora do RP e PP!




blogrpepp@gmail.com - Mande seu texto, foto, vídeo e tudo que quiser!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Domingão papelão!



Pessoal, o "papelão" dessa semana esteve nos TT's (Trending Topics), logicamente que do twitter. Trata-se da atriz Fernanda Vasconcelos, mocinha das novelas globais, que literalmente perdeu o umbigo no comercial da inimitável Havaianas.




O que realmente é discutível, é a intenção desse "desaparecimento umbilical" da atriz que pode ser uma maneira de chamar a atenção, o que nós achamos bem provável, pois esse comercial já foi visto mais de um milhão de vezes e virou "hit" em várias redes sociais.



sábado, 8 de janeiro de 2011

Videozinho da semana!




Pessoal, o "Videozinho da Semana" foi inspirado no nervosismo de pessoas que participam das temíveis entrevistas de emprego.


No vídeo de hoje, temos uma matéria feita pelo especialista em carreira Max Gehringer, no Fantástico.


Fiquem atentos às dicas passadas e esperamos ter ajudado com essa indicação de vídeo.




Logicamente que os ensinamentos podem ser questionáveis, porém existem informações riquíssimas neste vídeo, coisas que podem ser utilizadas não só nas entrevistas de emprego, mas também na vida.


Boa sorte na sua próxima entrevista!

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O RP tira férias?




*O ano todo o RP trabalha, quando se trata de profissionais, ou estuda. Ou melhor! Faz os dois.

Percebemos que essa classe é muito unida e se ajuda muito o ano todo. O RP parece não se separar do conteúdo ou do trabalho durante os 365/366 dias do ano, o que é bom para o aumento da percepção dos mesmos quanto a realidade da profissão em diferentes locais do Brasil e do Mundo.




*É uma busca constante de conhecimento e relacionamentos.
O que mais impressiona é a movimentação desses profissionais e estudantes nas redes sociais, estes compartilham textos, vídeos, postam em seus blogs, divulgam vagas de trabalho e assim aumentam suas teias de convivência na web.



Monitoram o que dizem sobre a atividade, comentam em fóruns especializados, fazem leituras, assistem palestras, participam de encontros, protestam quando se sentem atingidos com alguma fala ou atitude infeliz.
A questão maior é que quem está envolvido nesse meio é um completo apaixonado pelo que faz e uma das maiores características desse profissional é gostar de trabalhar pessoas, isso deve explicar o senso de ajuda que os mesmos tem para com os colegas de profissão e isso não tira férias.


Talvez o costume do RP de sempre buscar seu reconhecimento, procurar sempre seu lugar no mercado e mostrar que a comunicação é possível e pode trazer ganhos, tenha feito com que o mesmo se acostumasse a nunca parar de produzir conhecimento.

Parece estar na veia do RP esse tipo de comportamento, de se solidarizar com o colega e buscar sempre o reconhecimento da própria profissão, deixando nítido para nós que o RP nunca tira férias de verdade.
 
 

Trabalhando o ano todo!


domingo, 2 de janeiro de 2011

Domingão papelão!



O RP e PP ficou impressionado com esse "papelão", que é até discutível e deixa as opiniões divididas por transitar entre o ridículo e o criativo ao extremo.

O hamburguer Grã-Filé faz parte da linha de produtos Frisa, que atua há 40 anos, como dito no comercial, no Espírito Santo. O ator não é famoso, o texto é puro clichê e a sinceridade é a marca principal da campanha.

Vejam mais esse "Papelão"









Ô Loco Bicho! Brincadeira...
Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © RP e PP | Traduzido Por: RP e PP

Design by Maurity Cazarotti | Blogger Theme by RP e PP

}); //]]>