Seu blog de Relações Públicas e Propaganda

Mostrando postagens com marcador comunicação interna. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador comunicação interna. Mostrar todas as postagens

sábado, 23 de julho de 2011

Compartilhar Internamente: Intranet

Postado por Rochel Rodrigues

As formas de compartilhamento no ambiente interno têm como principal objetivo o relacionamento com quem trabalha na empresa para gerar engajamento, envolvimento, motivação para atingir as metas organizacionais, respeitando as devidas particularidades de cada público. Elas devem permear toda a organização, sendo utilizadas de maneira estratégica e planejada: não há mais espaço para o chefe que quer mandar emails aos funcionários para comunicar que a filha dele passou no vestibular ontem. 


A comunicação interna surge como solução para promover o fluxo de informações para integrar o ambiente organizacional satisfazendo as necessidades internas mais importantes e construindo a capacidade de mobilizar profissionais quando necessário.
Para que esses objetivos sejam cumpridos existem as ferramentas, que são repartidas em: informativas, interativas, mercadológicas ou relacionais. A escolha do estilo de ferramenta deve ser feita após uma análise dos alvos a serem alcançados pela comunicação, com um discurso alinhado sempre com a cultura e valores internos. Por isso faz-se necessário, além do reconhecimento da importância de um bom relacionamento com público interno, um planejamento bem elaborado diagnosticando todas as falhas da comunicação detalhadamente, para que a funcionalidade das ações propostas não sejam comprometidas.


Dentro das ferramentas interativas, vêm crescendo e se aperfeiçoando o uso da intranet. O aumento expressivo dessa estratégia é motivado pela onda de tecnologia e informatização que compreende as instituições nesse século XXI. A proposta principal é que ela se torne um local onde o público interno de uma organização pode se abastecer de informações úteis, interagindo com o restante da organização.


Pensando em um uso responsável da intranet, alguns fatores devem ser analisados antes de implantar essa ação. No âmbito de processos, as perguntas que devem ser feitas são: De que maneira que os processos internos estão sendo gerenciados? Como esses processos acontecem, formal ou informalmente? Como eles interferem nos relacionamentos dentro da organização?. É importante conhecer sobre o conteúdo que será disponibilizado, já que essa é a matéria prima essencial para a execução dessa proposta. Detectar como os documentos dentro da empresa estão sendo organizados e "mapear o trajeto" que a informação percorre entre seus consumidores, são imprescindíveis para identificação de potenciais oportunidades no negócio.
Finalmente, é importante conhecer bem as pessoas que irão partilhar e usufruir dessa intranet. As melhorias internas que ela poderá proporcionar dependem diretamente de quem a utiliza e por isso considerar/criar motivações que induzam ao uso consciente da ferramenta é o fator primordial para o planejamento de uma intranet eficaz, que atinja o objetivo baseado na estratégia de marketing interno da organização.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Aliados Na Comunicação Interna


Uma comunicação interna bem estruturada agrega vantagens competitivas para a empresa no mercado. O bem maior de qualquer empresa atualmente é o capital humano, manter um bom relacionamento com esse capital é imprescindível para reter os melhores talentos em um mercado tão competitivo.

Um dos desafios da comunicação é manter o público interno bem informado e engajado nos princípios e objetivos da organização. 

Um plano de comunicação interna para obter sucesso precisa levar em consideração a cultura do público interno para que a mensagem seja compreendida e praticada.
Vários obstáculos tentam impedir o fluxo da informação dentro das empresas como boatos, rádio peão e retenção de informação. Fazer com que a informação flua e gere resultados é um desafio para o Relações Públicas. As “panelinhas” ou “feudos” que se formam dentro das organizações muitas vezes dificultam a aceitação de uma mensagem 

devido à influência dos líderes de opinião que estão inseridos nesse público. 

O Relações Públicas precisa identificar esses formadores de opinião dentro das organizações para que eles sejam também um meio de reforçar a mensagem da instituição, sejam aliados na comunicação interna. Nem sempre o formador de opinião é um líder formal, pode ser um líder nato, mas é alguém que por sua popularidade, carisma consegue exercer certa influência sobre o grupo.
Usar a influência dos líderes de opinião para reforçar a comunicação interna é uma estratégia de mão dupla que precisa ser considerada não somente para disseminar a mensagem da organização para seu público interno como também para receber o que vem dele.

Siga @blogrpepp e a autora do post @murimarques



Bio Twitter:
Cristã, noiva, estudante de Relações Públicas a caminho de São Tomé e Príncipe!
Visem o blog da Muriel!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A arte de motivar na comunicação interna


Um dos milhares de desafios que existem para um gestor de comunicação interna é despertar motivação e vontade, fazendo com que o ambiente dentro da organização estimule a todos - desde a tia do cafezinho até o vice presidente - a dar seu máximo, trabalhar 101%, manter o foco das 8h as 18h e sem cansar, comemorar o crescimento da empresa como se a alegria fosse comparada a um gol do Vasco no Mundial de Clubes.

Obviamente, é improvável que eles vibrem mais com a meta mensal de crescimento atingida do que eu vibrei com o golaço do Juninho Pernambucano, na final em 1998 contra o Real Madrid, mas enfim... É mais uma missão do maestro da comunicação aproximar ao máximo a esse sentimento. 

Pra ajudar nessa tarefa, é necessária a definição de ações básicas, que possibilitem que o local de trabalho possa ser onde os funcionários desenvolvam e aprimorem seus melhores talentos, sem deixar que a produtividade caia em razão da hierarquia organizacional ou uma burocracia predominante, por exemplo.

A falta de confiança e em seguida, as condições salariais e comunicação falha ou inexistente na relação patrão-empregado são os grandes geradores da falta de motivação no ambiente profissional. Portanto, diagnosticar e identificar se esses problemas existem é fundamental e corrigir com ações transparentes, priorizando o mérito e dando espaço ao empregado apostar no desenvolvimento pessoal.

O segredo, afinal, é tratar os empregados não como uma parte da linha de produção, mas como pessoas, pois são as pessoas que se sentem desmotivadas, com suas particularidades e diferenças, e ouvi-las, porque a solução só aparece quando se conhece o verdadeiro problema.

Time motivado levanta a torcida

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Vídeos institucionais

Pois bem!!! Neste post, falaremos sobre vídeos institucionais.

O que é vídeo institucional? Qual sua serventia? O que a empresa ganha? O que a sociedade ganha com esse tipo de ação?

São várias perguntas, que felizmente são "respondíveis".

Os vídeos institucionais servem para mostrar aspéctos positivos de empresas, bem como seu ramo de atividade e geralmente esse tipo de ação é direcionada ao público interno, criando assim o sentimento de pertencer, uma vez que os vídeos institucionais são muitas vezes municiados de imagens do dia a dia da empresa, porém com carga emotiva, reforçando missão, visão e valores.
(Assista ao vídeo institucional da empresa CPack)



Levando em consideração que este tipo de material é destinado ao público interno, fica difícil avaliar se tudo o que está no material é realmente realizado, como a ideia de sustentabilidade passada, a imagem de funcionários satisfeitos, entre outras. Ainda mais neste caso, que se trata de uma empresa pouco conhecida pelo grande público. Em que acreditar?


Para clarear o nosso entendimento sobre a que
stão, mostraremos o vídeo institucional da campanha do Rio de Janeiro para as Olimpíadas de 2016.


(Assista ao vídeo da campanha Rio 2016)




Depois de assitir ao vídeo dessa campanha vitoriosa do Rio de Janeiro, podemos perceber que a ideia desse tipo de material é realmente a de mostrar o lado positivo daquele lugar, suas riquezas visuais, naturais, a hospitalidade de um povo sempre sorridente, assim como no vídeos da empresa CPack.


Porém, agora, conhecemos bem o local que está sendo defendido, sabemos também que não é bem assim e que por detrás de tanta beleza existe um outro cenário nada interessante de se mostrar, este cenário infelizmente assola a maioria
das grandes cidades do Brasil, mas esse assunto também não é foco aqui.


O que queremos com esses exemplos é quebrar o paradigma de que tudo que aparece é 100% real. A empresa CPack é reconhecida no ramo em que atua, utiliza de fontes sustentáveis de energia, trabalha com as melhores matérias - primas, fabrica milhares de embalagens por ano e fornece seus produtos para os maiores fabricantes de cosméticos do mundo.

O Rio de Janeiro é a Cidade Maravilhosa, repleta de riquezas naturais e visuais, possui uma das sete maravilhas do mundo, é uma das cidades mais ricas da América Latina regada a muito samba, gente bonita e feliz.


Essas histórias são mostradas nos filmes produzidos e realmente esse é o papel de quem realiza esse tipo de trabalho.

Essa é a arte de mostrar o que há de melhor em qualquer ambiente.

Essa é a arte de saber aproveitar oportunidades e conquistar qualquer tipo de público, com as mensagens certas e no momento certo, que é o mais importante para o sucesso, não só de um vídeo institucional, mas sim de um projeto de comunica ção como um todo.



O lado bom de ser RP e PP!

terça-feira, 15 de junho de 2010

RP - Uma profissão que parece não aparecer! Será?


Sabemos o que um médico faz, mesmo que resumidamente. Sabemos o que um advogado faz, mesmo sem termos cometido um crime. Sabemos o que um jornalista faz, mesmo sem termos concedido uma entrevista. 

E o Relações Públicas?Sabemos o que ele faz, mesmo que resumidamente?
Precisamos dele quando cometemos crimes?

Sabemos quem ele realmente é?
"Pior que isso é saber que alguns estudantes são aprovados no vestibular e iniciam o curso sem saber ao certo do que se trata a profissão.

Para agravar a situação, também não sabem explicar aos pais e amigos o conteúdo da carreira que pretendem seguir. Isso é grave, pois na maioria das vezes, os pais são os patrocinadores do curso superior. O popular “paitrocínio”.- Denise Monteiro - Profissional de Relações Públicas
Esse profissional fica escondido por desempenhar um trabalho de bastidores, mas o que significa isso? Bem, quando nos deparamos com empresas que se posicionam no ranking de empresas melhores para se trabalhar, ou quando estamos vivenciando alguma boa novidade de uma organização com um projeto para sustentabilidade e ações com a sociedade, estamos olhando também para o trabalho duro de um bom profissional de RP, que ainda não é conhecido pelo grande público, mas que "vira e mexe" tem boas ideias e consegue desempenhar trabalhos interessantes dentro das organizações.

Infelizmente algumas empresas ainda são resistentes no que diz respeito a planos de comunicação e entendem essas ações ainda como gastos e não como investimentos nas pessoas, que são o capital maior de qualquer empresa. Talves esse pode ser um dos motivos que levam ao grande público ao não conhecimento da profissão, ou mais, podendo ser por esse motivo que esse público conhece o Relações Públicas como o "festeiro"."E por que pouca gente sabe o que é?
Porque somos profissionais de bastidores. Não devemos focar nosso próprio destaque. O que deve aparecer é o resultado de nosso trabalho.
Quando se tem notícia de alguma boa novidade de uma empresa como um programa de sustentabilidade, de ações com a comunidade, entre várias, normalmente há um Relações Públicas atuando em alinhamento seus públicos. As ações são percebidas e valorizadas pela opinião pública, mas os profissionais que arquitetaram a boa reputação ficam ocultos, uma vez que o objetivo principal sempre é a imagem positiva da organização e não a própria." - Denise Monteiro - Profissional de Relações Públicas.




Estamos procurando exercer um trabalho comunicacional que seja integrado, tanto interno quando externamente. Somos o que dizem de "o fiel da balança", pois não estamos no mercado somente para salvar a reputação de uma empresa, ou muito menos para promover festas. Estamos no mercado para gerenciar um plano que seja efetivo em sua estratégia, defendendo assim os interesses dos mais diferenciados públicos, de uma forma que os mesmos entendam, trazendo os resultados que esperamos.

Aparecemos?
Talvez não do jeito que todos acham!
Aparecemos? Sim! Espelhados no nosso trabalho bem realizado!



 Siga @blogrpepp no twitter




terça-feira, 18 de maio de 2010

Mercado de luxo

Olá pessoal que está lendo mais esse post do RP e PP.


E hoje o assunto é Mercado de Luxo, onde daremos uma boa "pincelada" sobre o assunto.



Em linhas gerais o Brasil movimenta muito dinheiro com esse tipo de mercado e esquenta também o oferecimento de cursos de especialização, aumentando também o número de profissionais de marketing e comunicação - transformando isso no que eu chamo de "cadeia"

ou "ciclo de luxo", uma vez que esses profissionais trabalham em conjunto cíclico com o negócio.


O perfil do consumidor - Abertura das portas...


No Brasil o consumidor de luxo tem como característica principal, a utilização desses produtos e serviços para se inserir em algum grupo social e a prova desse aumento é o aparecimento de novas grifes estrangeiras, não só também pelo aumento nesse tipo de consumo, mas também pelo comportamento do país diante à crise mundial, uma vez que países considerados de primeiro mundo sofreram relativamente mais do que o Brasil.


Comunicação...


Utilizar as ações de RP para todos os produtosO profissional de Relações Públicas será de grande importância na comunicação desse tipo de negócio, uma vez que busca atingir os formadores de opinião, fazer com que a marca transite livremente no boca-a-boca, tornando a marca visível para o público-alvo, utilizando também de eventos, mas principalmente, em táticas de relacionamento com o cliente.


Utilização de propaganda para produtos acessíveis e intermediários.
Imagine uma pirâmide, onde são encontrados os produtos acessíveis na base, os intermediários lógicamente no meio e os inacessíveis no topo. Na medida que esta pirâmide é escalada, o esforço do RP é maior para construção de marca e geração de vendas, a propaganda neste caso funciona ao contrário neste caso, quanto mais descemos a pirâmide melhor a utilização desse tipo de comunicação.


A utilização da publicidade para produtos considerados de luxo são visíveis em estágio de lançamento desses bens ou serviços, o esforço maior realmente fica com a parte de Relações Públicas, até mesmo pelo motivo de resguardar o posicionamento da empresa que comunica.





RP e PP
é um luxo!!!





domingo, 9 de maio de 2010

Contradições sobre o amor como forma de incentivo!

Falaremos de amor como forma de incentivo, ou seria motivação?!? Qual a diferença???

Abrirei um parênteses para falar sobre incentivo e motivação.
"Incentivo pode ser algo externo que motive o ser para que faça determinada tarefa, logo motivação é algo interno que faz com que determinada pessoa realize a tarefa!
Incentivo - dinheiro
Motivação - você precisa de dinheiro
A pessoa pode não precisar de dinheiro, não gerando motivação para realizar o trabalho."

Agora falaremos do amor como forma de incentivo e suas contradições...

Sensibilizar, tornar produtivo, incentivar, não são tarefas nada fáceis na "arte" do
Endomarketing.
Como surgiu essa"arte"?
Essa é uma pergunta que talvez nem possa ser respondida, ou talvez, pode ser confundida com o surgimento das próprias indústrias.
Fica claro , porém, que para se conseguir engajamento dos que agora são chamados de colaboradores, precisamos de amor, sim, amor no que comunicamos, uma vez que todo relacionamento de sucesso é construído sobre a base forte desse sentimento. Mas será que esse amor pode virar ódio? Pois para que um bom relacionamento flua, temos que ceder às vezes, ou negar, ter paradigmas quebrados constantemente.
Claramente, os questionamentos são muitos e válidos, ainda mais quando o assunto é amor, e nesse caso, amor seguido de trabalho, seguido de capitalismo, de relação empregado e empregador.

Existe uma afirmação no que diz respeito ao amor no livro "Face a face com o endomarketing" de Analisa de Medeiros Brum, onde ela diz que:
"Vivemos numa era em que pessoas estão cada vez mais espiritualizadas e voltadas para o amor e isso força as empresas a pensarem da mesma forma". Será? Será que as pessoas não primam mais pelos seus salários, condições de trabalho, vantagens? Ou será mesmo verdade que os funcionários estão com espírito de vestir a camisa e desempenhar as funções que lhe são propostas com o endossante amoroso dos líderes? (lindo isso não?).

O Endomarketing é a face do sentimento que envolve os colaboradores e mostra que empresas que assumem atitudes de endomarketing passam a viver uma fase de total entusiasmo com o resultado decorrente delas.
Fala-se muito de amor, mas quando se trata de organizações a paixão é o conceito mais cabível, haja vista que o ímpeto vem da paixão.
Porém tudo se resume em amor e as pessoas devem saber amar. Mas o amor é cego, dizem por aí. Será que o amor está no empregado ou na mensagem passada para motivar a paixão que existe dentro de cada um? O amor motiva? A Paixão motiva? Alguém fica apaixonado pelo que faz para sempre? Alguém ama o que faz a vida toda?
Gary Hamel (foto e descrição abaixo), diz que nos dias de hoje não é importante o que as pessoas pensam de seus líderes e sim o que elas sentem a respeito deles.


Hamel é americano e especialista em gestão. Fundador da Strategos, uma empresa de consultoria e gestão com sede em Chicago.
Será que alguém ama o que faz para sempre? Será que alguém é apaixonado pelo seu trabalho integralmente? Devemos amar nossos líderes?

A resposta pode ser simples!
E estará em uma de nossas próximas discussões!


O amor está no ar!




Alguns trechos tirados do livro
Face a face com o Endomarketing
de Analisa de Medeiros Brum.
Para facilitar o entendimento sobre o assunto.
Maurity Cazarotti

domingo, 2 de maio de 2010

Comunicação Interna X Endomarketing


Olá pessoal.
Aqui o nosso assunto de hoje é Comunicação Interna e Endomarketing.
Será que tem diferença? Posso adiantar uma coisa. É polêmico!
A Comunicação Interna ganha força mesmo, no início dos anos 90, ao meu ver que é quando existe a abertura para empresas de fora entrarem no Brasil (você pode opinar sobre isso). Tenho essa visão pois nessa época o jeito de tratar o funcionário realmente muda, existindo a necessidade de não só deixa-lo informado, mas também de fazer o que chamamos de engajar, ou seja, fazer com que este funcionário se torne colaborador de fato.
A Comunicação Interna é uma ferramenta que serve como um meio de interação entre o funcionário a e empresa, fazendo com que o mesmo entenda mais sobre o seu local de trabalho, por meio de veículos estratégicos, levando em conta também o seu público-alvo, bem como suas características (isto está cheirando a estratégia?!?!?).

O Endomarketing é uma nomenclatura que foi criada por Saul Bekin (foto) no final dos anos 80.
Seu foco principal é o Marketing dentro da empresa (ENDO-marketing).O Marketing que se conhece puro e simples - É uma ferramenta (alguns dizem que é até uma ciência) que procura saber qual é a necessidade e o desejo do público-alvo procurando atende-los.Voltando ao Endomarketing, a explicação é quase a mesma só que desta vez a "brincadeira" é para dentro das organizações, ou melhor, essa ferramenta visa o público interno das empresas só que desta vez comunica para atender as necessidades e desejos das próprias corporações, utilizando uma linguagem estratégica (mas isso não se parece com Comunicação Interna?!?!?).
Há quem diga que esses dois conceitos tem o mesmo objetivo. Há quem discorde. Há quem diga que o Endomarketing tem visão mais estratégica por se tratar de Marketing. Há quem diga que Comunicação Interna engloba tudo.
Alguns estudiosos dizem que Comunicação interna tem serventia no âmbito informativo, utilizando meios de comunicação formais.
E que Endomarketing adapta as premissas do Marketing para dentro da empresa procurando transformar o funcionário em consumidor.



Agora tire suas conclusões.
Comente e seja feliz!!!


Siga @blogrpepp



Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © RP e PP | Traduzido Por: RP e PP

Design by Maurity Cazarotti | Blogger Theme by RP e PP

}); //]]>