Seu blog de Relações Públicas e Propaganda

Mostrando postagens com marcador empreendedorismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador empreendedorismo. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

7 coisas que aprendi sobre empreendedorismo? A 3 vai te surpreender!

Estou sem tempo. Estou com medo. Tenho prioridades. Preciso vender. Muita coisa pra estudar. Lista de livros e artigos pra ler. Pessoas para atender. Qual é o meu propósito? Bateram no meu carro. Contas para pagar. Faturamento. Lucro. Despesa! Bom, se a gente for fazer a verdadeira nuvem de tags do empreendedorismo, teríamos mais problemas do que glamour. E eu não falo isso só sobre o empreendedor que possui o seu próprio negócio, mas sim, aquele que se comporta como empreendedor na sua CLT.

Sou um Relações Públicas que atua com projetos de inovação, jornada do usuário, experiência do cliente, consultorias e comunicação para empresas que querem ser vistas e reconhecidas. Faço relacionamento, alguns colocam no cartão de visita que isso se chama "Rain Maker" ou "Faz Chover", mas, eu sou mesmo, empreendedor.

Rain Maker. Ah Tá!

Ao longo da minha jornada, que está completando 7 anos aprendi muitas coisas de duas formas muito simples: A certa e a errada. Quando você consegue colocar no espectro o que é certo e o que é errado, a lógica do "depende" se torna impossível, até para os marketeiros mais experientes. Ou seja, ou você faz, ou você não faz!

Primeira coisa que aprendi: Faturamento não é pró-labore

"Cerbasimente" falando, o dinheiro possui sempre dois caminhos: ida e volta. Não tem outro jeito! Faturamento é aquilo que sua empresa recebe e dele é retirado impostos, custos fixos, possíveis investimentos e isso é ida. O que você vai retirar é uma parcela do seu faturamento que deixe a possibilidade da sua empresa sempre ter uma reserva para possíveis imprevistos e isso é volta. O caixa da empresa não é o seu parque de diversões, resumindo.

Segunda coisa que aprendi: Confie no seu sócio, sempre desconfiando

Busque sempre ter momentos em que você e seu (s) sócio (s) possam contar ideias e falar sobre dificuldades. A parte de desconfiar é importante para gerar cobrança. A cobrança entre sócios deve existir sempre. Quando um puxa o outro a coisa anda e o resultado fica com mais chances de ser positivo. 

Terceira coisa que aprendi: Sua família e seus amigos não vão comprar de você

É ilusão. Nunca faça pesquisa para abrir um novo negócio tendo como público de pesquisa a sua família e os seus amigos. Eles sempre "esquecem a carteira em casa". Em 3 anos que tenho o meu escritório, nunca fiz um serviço sequer para um parente ou amigo. E o pior... eles fazem sozinhos, fazem sem qualidade, se ferram e depois querem a sua opinião. Liberdade é uma m#%$¨#.

Quarta coisa que aprendi: Você sempre tem tempo, pare com essa desculpa!

Estou no sal! Não tenho tempo pra nada! Muita correria... ok! Tudo bem! Isso é sinal de prosperidade, certo? Não! A gestão do tempo é tão importante que já se tornou clichê falar desse negócio. Tem gente que se envolve em tanta coisa que não consegue fazer o que dá lucro ou o que dá mais prazer. Conheço gente que faz storyes o tempo todo, inclusive aos domingos e feriados com a hashtag "#HojeTambémÉDia" achando que isso é lindo, maravilhoso. Se toca! Lindo é ter tempo e qualidade de vida. _ "Mas eu preciso aproveitar enquanto estou novo pra trabalhar pra caramba". Muito legal! E quando ficar mais velho você vai precisar de quê? 

Isso não foi num domingo: Desenvolvimento de Jornada de Experiência do Cliente

Quinta coisa que aprendi: Fuja dos gurus. Procure pessoas!

Existe um boom gigantesco de gurus na internet. Contei na semana passada 30 perfis novos começaram a me seguir no Instagram com o título de Coach. Juro que nunca vi na vida tanta gente falando sobre desenvolvimento pessoal com tão pouco conteúdo. Pessoas que dão Control C + Control V em perfis de auto-ajuda não merecem o seu respeito. Eles não produzem nada, não criam nada e querem ajudar você a alcançar o sucesso que nunca tiveram. Procure por pessoas de verdade que produzam coisas originais. 

Sexta coisa que aprendi: Não deixe ninguém colocar preço no seu serviço

Tá caro! Você já ouviu isso sobre o seu trabalho? Ou pior... Eu vi com outra pessoa e ele faz pela metade do preço. Sinceramente, quero que essas pessoas sejam felizes cobrando R$300,00 (sim, isso é real) por um planejamento de comunicação. Isso não paga nem a gasolina. Veja bem... não estou dizendo pra você não negociar. Negociar é muito normal. Anormal é vender a alma para o diabo e fazer do seu preço uma parcela da Casas Bahia.

Sétima coisa que aprendi, mas não é a última: Pare de usar tanto termo em inglês

Empreendendo com startups, inovação, projetos de comunicação, o mais comum é você conviver com gente que sempre manda aquele vocábulo americanizado pra mostrar que sabe das coisas. O marketing é cheio dessas coisas e com o advento da tecnologia e das mídias digitais, os Xoxial Mídias, os Startapeiros, os aprendizes de publicitários, ou melhor, todo mundo que anda envolvido com business (perdão, com esse mercado!) adoram terminologias gringas. 

É muito comum aqueles cartões de visita com gente que nunca faturou uma nota fiscal, abriu um CNPJ e nunca soube o que é pagar aquele imposto docinho no início de cada mês com cargos escalafobéticos e super imponentes. É muito CEO pra pouca ação. Ficar rico na planilha sobe na cabeça de muita gente, mas, pra transferir o dinheiro das células do Excel para uma conta bancária temos um caminho longo. Mas, lembre-se: sua família não vai comprar! 

Também aprendi que as pessoas confiam em quem está com o microfone na mão (não seja enganado... a internet aceita tudo)

Compartilhe comigo!

Pessoal, logicamente que aprendi muito mais que sete coisas. Fiz essa lista pois aprendi que na internet o público ama listas e é um gatilho mental maravilhoso, porém, também sei que é muito bom para organizar ideias e tornar o texto menos chato. Espero que tenha gostado e, acima de tudo que você coloque algum aprendizado seu aqui nos comentários. Abraço e até a próxima!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Vida de Empreendedor: Você está vivendo ou está morrendo para trabalhar?

Não há nada mais prazeroso pra um empreendedor do que o próprio trabalho. Aos que são felizes por terem escolhido a própria carreira e o que oferecer para o mercado, sobra alegria, bem estar e saúde para todos os setores da vida. Como seria bom se essas linhas fossem 100% verdade!


Eu escrevo esse artigo por ter um sócio de 27 anos que toma remédios controlados para pressão alta. Escrevo esse artigo por ter um amigo empreendedor e sócio em uma startup que está precisando balancear o dia e a noite, a mando de um médico, e detalhe, ele tem só 22 anos. Eu escrevo esse artigo por ter um cliente, empreendedor, que está afastado de fazer o que mais gosta por ter tido um problema com estresse, com apenas 30 anos.

O que eu quero com esse artigo?

A grande verdade sobre esse artigo é a minha intenção simples de te fazer pensar sobre o seu caminho para o "sucesso". Muitos gurus da área de negócios apontam caminhos para o sucesso, mas, se esquecem que os executores dessas ações são pessoas e que precisamos humanizar a abordagem, pois, o caminho precisa ser tão prazeroso quanto o atingimento das nossas metas.

Aquela pizza depois do horário comercial ou aquele sprint feito de madrugada. Aquele velho corujão no escritório ou, até mesmo, no quarto, na sua casa, acompanhado ou não, com refrigerante, energético ou aquela garrafa de café, tudo isso, é muito mais comum do que a gente pensa. E não, eu não estou dizendo pra você não ficar depois do horário um dia ou outro ou não comer uma pizza com refrigerante, uma vez ou outra, mas, se esse comportamento é recorrente, você precisa rever se o dinheiro vale tanto a pena assim, uma vez que você vai precisar gastar ele pra cuidar da sua saúde depois.

Qual é o seu propósito?

Pode parecer piegas, mas, alinhar seus projetos com o propósito que você tem para a sua vida é o que dará sentido à sua caminhada. Hoje, sou professor universitário (ESAMC), tenho meu escritório de comunicação e inovação, também tenho uma startup (www.namao.me - conheça! hehe) e sou Diretor na Associação dos Profissionais de Propaganda (App Uberlândia), além de ter meus "escapes", como esse blog maravilhoso que você está lendo, há mais de 6 anos. Meu propósito de vida é provocar diálogos nas pessoas, por meio de comunicação, em qualquer meio, e eu faço isso em todos os projetos que me envolvo. Mas aí você me pergunta: Que horas você tem vida social? Que horas você dorme? Bom, eu tenho vida social e consigo dormir numa boa! Eu consigo ter tempo para as minhas atividades e uso, com ajuda da minha noiva, a agenda do Google e, com isso, eu sei das minhas obrigações e do meu tempo livre.

Quais são os seus projetos e sua disponibilidade?

Eu citei meus projetos aí em cima e gostaria que você descrevesse quais os seus projetos. Anote em um papel, cada um deles. Escreva os dias da semana e tente separar, por horas, a sua disponibilidade para cada um deles. Tendo noção do que você tem como "obrigação", fica mais fácil prever o que você vai fazer durante a sua semana. Caso aconteça algo de extraordinário, algo que fuja à regra, você terá mais fôlego pra tomar conta e, como toda regra tem sua exceção, não é problema ficar depois do horário (desde que essa exceção não se torne uma regra).

O que você tem vontade de fazer no futuro?

Convivo muito com gente da minha idade e com gente que tem uma idade mental muito jovem e sempre vejo novidades e movimentos de novos projetos nessas pessoas, e isso é muito bom! Com aquela anotação de "disponibilidade X projetos", você também conseguirá visualizar se aquele seu desejo de fazer algo novo tem espaço na sua agenda semanal. Outra coisa é o objetivo desse novo projeto! Claro que pode ser algo que não está ligado ao dinheiro em si, como por exemplo, um mestrado (que eu também quero fazer) ou algo ligado à filantropia ou à sua comunidade. Nesse contexto também entra o planejamento de tempo que você vai ter, então, antes de tudo, conecte sua agenda ao seu propósito!

Agora tá na hora do café!

Gostou das dicas? Que tal compartilhar com alguém que você tenha contato e que está cheio de ideias de projetos, mas, talvez está sobrecarregado e não sabe o que fazer? 

Espero ter ajudado com esse artigo e espero também que você tenha sucesso em tudo que fizer na vida.

sexta-feira, 18 de março de 2016

Empreendedorismo informal é tema da V Mesa Redonda organizada pela iniciativa RPManaus

A iniciativa RP Manaus, completou cinco anos de existência em fevereiro, irá promover no dia 30 de março, às 20h no Espaço Thiago de Mello (Livraria Saraiva) a V Mesa Redonda com o tema “Empreendedorismo sem gravata”. O objetivo da mesa é mostrar ao público que existem diversos segmentos para empreender seja no ramo de gastronomia, comunicação digital, entre outros.

“Negócio é a ação empreendedora que dá lucro. Então, é muito fácil saber se você tem um projeto ou um negócio. Basta olhar no final do mês e ver se o saldo tem sinal positivo ou negativo” afirma a idealizadora do RP Manaus, Ana Clarissa Cavalcante.



A mesa redonda contará com a presença de Aldo Bittencourt, CEO da Startup e Agência de Inovação Fermen.to; Michelle Guimarães, proprietária da empresa Fora da Caixa e vice-presidente da Associação de Jovens Empresários do Amazonas (AJE-AM); Paulo Melo, responsável pelo Desenvolvimento de Novos Negócios da INDT Manaus; Erlan Bindá, idealizador do blog Mapingua Nerd; Samantha Gomes, proprietária do Bistrô de Sá; Victor Israel, publicitário e social media do Blog É de Comer? E consultor de mídias sociais da empresa Go Upper e Fernando Vieira, proprietário do BoraLá Food Truck

O debate será mediado pelo Diretor Administrativo da Tropical Multiloja, Alan Kardec Filho.

Serviço

Quando? 30 de Março de 2016

Horas? 20h

Onde? Espaço Thiago de Mello (Livraria Saraiva, Manauara Shopping). SEIS HORAS de atividade complementar

As inscrições para a V Mesa Redonda: Empreendedorismo sem gravata, pode ser feita no link http://migre.me/te4dr

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Um evento histórico que você amaria participar! Epicentro.

Simplesmente pelo fato de ter o objetivo de levar pessoas loucas, os bons malucos, para um lugar, mais precisamente para o alto de uma montanha e jogar em cima da cabeça de todos eles uma enxurrada de informações, ensinamentos, jeitos de fazer e mais da melhor maluquice de todas, que é ficar junto de mais gente louca, esse foi o Epicentro, um evento louco pra mostrar que as pessoas podem ser melhores!

O Epicentro é um evento sem fins lucrativos, realizado pelo grande Ricardo Jordão (Biz Revolution), que conta com um monte de voluntários que se desdobram pra deixar tudo certinho pros mais de 1.000 participantes e também conta com uma estrutura organizada e não-palestrantes. Sim!!! Não palestrantes! A ideia é ter gente que faz e trabalha para resolver problemas reais e que estão dispostas a mostrarem os seus conhecimentos e o jeito de fazer empreendedor, e não ter mais palestras com mais de uma hora de duração onde são mostrados slides com gráficos e dados com relevância duvidosa. *Só pra constar, as apresentações do Epicentro possuem duração de apenas 18 minutos.

Outra coisa que chama a atenção é o pré-evento. 

Antes do negócio todo rolar, muita comunicação acontece. Um App oficial do evento avisa sobre as movimentações e novidades do evento. Uma delas, foi o fato do empreendedor poder ter o seu cartão de visitas impresso para poder distribuir no evento (fiquei entre os 100 e o cartão ficou bonitão! Nada de papel molenga e impressão mais ou menos) e outra foi a inscrição para o participante poder subir em um caixote e falar sobre o seu negócio, seus sonhos, expectativas com relação ao cenário atual, sobre o próprio evento, sobre tudo! Eu, espertão que sou, me inscrevi em todas as coisas que eu podia e participei de tudo (menos do Epicentrinho, claro, que foi um evento a parte para a criançada criar, aprender sobre empreendedorismo e se divertir). 

Cartão bonitão impresso pela gráfica oficial do Epicentro

Veja só minha subida no caixote do Epicentro! "Sobe no Caixote"

Subi no Caixote do Epicentro 2015




As apresentações foram uma surpresa mais que agradável e o modelo lembra muito as palestras do TEDx pela curta duração e alto impacto, já que o apresentador precisa de uma destreza grande para prender a atenção e passar a mensagem com eficácia. Posso dizer que não houve apresentação ruim e todas tinham sempre um final que me espantava, seja uma frase, uma imagem ou, até mesmo, um choro emocionado. 


Recomendo muito o Epicentro, que é um evento inovador, com grande impacto na vida pessoal e profissional de quem participa, capaz de promover network com gente de todo canto, além de acontecer em uma cidade linda e maravilhosa que é Campos do Jordão e com um custo de participação considerado por mim, irrisório - apenas R$150,00 por dois dias inteiros de evento. Ano que vem já tem data pra acontecer, aí, fica fácil se programar! Dia 24, 25 e 26 de setembro de 2016.

Pra quem não foi este ano, as apresentações estarão no YouTube em poucos dias. A organização deixará tudo aberto, inclusive todas as pessoas que subiram no caixote... e teve cada mensagem legal que vale muito a pena assistir aos dois minutos de cada um. Só gente do bem e louca, claro!

Meu agradecimento também vai para o pessoal do Hostel Campos do Jordão que acolheu toda galera de Uberlândia que compareceu em peso nesse Epicento. Prometemos levar ainda mais gente no ano que vem pra esse lugar que é cheio de história, vida e beleza! (ô cidade pra ser bonita!).

quinta-feira, 9 de julho de 2015

RPManaus lança novo projeto voltado para educação: Escola Experimental de Comunicação e Empreendedorismo (EExCE) oferecerá cursos livres a partir de agosto

Com o intuito de trazer para o público manauara novas oportunidades de aprendizado sobre o universo da Comunicação Empresarial, Marketing e Empreendedorismo, no próximo sábado, 11, a aceleradora de talentos RPManaus dará início ao calendário de cursos da Escola Experimental de Comunicação e Empreendedorismo (EExCE).

O lançamento será no formato de “aula inaugural” e contará com a presença de profissionais de comunicação da cidade, que irão debater sobre o mercado de trabalho e os desafios de crescer nesta área em Manaus. Jefferson Coronel, empresário e assessor político; Judy Tavares, relações públicas e mestre em ciências da comunicação; Luiz Júnior, co-fundador da agência digital Fermen.to; e Fillipy Sampaio, empresário e publicitário na Zenith Publicidade e Marketing, farão parte do debate que será mediado pela jornalista Laize Minelli.

“Esperamos que esta aula dê ao público uma ideia do que queremos trazer para a cidade por meio da EExCE. Sentimos uma carência muito grande em Manaus de cursos voltados para a área de comunicação e empreendedorismo que sejam ministrados por profissionais com boa experiência regional e nacional. Sabemos que muitos aqui em Manaus não têm a chance de fazer cursos em outros locais, por isso que gostaríamos de trazer estes profissionais para a nossa cidade e promover estes encontros”, afirma Ana Clarissa Cavalcante, idealizadora do RPManaus.

Ainda de acordo com Ana Clarissa, a escola já possui pelo menos quatro cursos programados para o segundo semestre de 2015. “A nossa ideia é montar uma grade formada por professores de fora e de Manaus, pois queremos muito valorizar os profissionais da nossa terra também. Já fechamos com três palestrantes de outros estados e um da capital”, explicou. Por enquanto, a Escola Experimental está sem uma sede oficial, porém todas as aulas serão oferecidas no Amazon Smart Office, localizado na Avenida Rio Jutaí, 34, bairro Nossa Senhora das Graças.

O primeiro curso da Escola Experimental terá como tema “O novo marketing, que educa, gera reputação e atrai clientes certos para o seu negócio”. A aula está marcada para o dia 8 de agosto e será ministrada por Ariane Feijó, relações públicas especializada em Marketing, Gestão de Arte e Cultura. Ariane atua há 15 anos no mercado e foi reconhecida duas vezes como uma das 20 mulheres mais influentes do marketing promocional pela atuação como gestora de conteúdo e networking para o site Promoview, no Festival de Cannes, França.


A “aula inaugural” começará às 10h, no Wandyñ Bar, localizado na Rua Emílio Moreira, 612, bairro Praça 14 de Janeiro. A entrada são duas latas de leite em pó.

Sobre o RPManaus

RPManaus é uma iniciativa focada na aceleração de talentos para jovens universitários de Comunicação Social que visa desenvolvê-los, capacitá-los e fomentá-los para o mercado de trabalho. Fundado em 2011, pela relações públicas Ana Clarissa Cavalcante,a equipe do RPManaus possui 16 integrantes, tendo como sede a Cardume Coworking. Atualmente, a iniciativa possui parcerias locais com instituições de ensino, empresas de eventos, corporativas, e ONGs. O grupo de parceiros também se expande a nível nacional, como a renomada a Fundação Estudar.

O RPManaus, conquistou dois prêmios nacionais em 2011 e 2012 como um dos melhores blogs de RP para ser seguido. Um espaço para gerir, desenvolver, liderar e executar! A iniciativa tem como objetivo estimular o desenvolvimento pessoal e profissional, e ajudar na formação de um networking com profissionais de comunicação, empresários nacionais e regionais, administradores, profissionais da área do turismo e entusiastas pelo empreendedorismo.


Serviço:

O que é: Aula inaugural da Escola Experimental de Comunicação e Empreendedorismo (EExCE)
Quando: 11 de julho (sábado), às XX
Local: Wandyñ Bar, localizado na Rua Emílio Moreira, 612, bairro Praça 14 de Janeiro.
Entrada: Duas latas de leite em pó

terça-feira, 1 de outubro de 2013

RP e PP News

Amanhã, dia 02/10, na ESAMC Uberlândia, o evento Papo com o Mercado, que já é tradição na instituição, acontece às 19hs com o tema Empreendedorismo e Startup, com o palestrante Roberto da Costa Viana - Analista de Negócios e Líder do Comitê de Inovação da Algar Mídia, empresa do Grupo Algar. O RP e PP fará a cobertura pelo Twitter @blogrpepp.

Estudo da Endeavor em parceria com o IBOPE revela:

Ter o próprio negócio é o sonho de três a cada quatro brasileiros, de acordo com pesquisa realizada pela Endeavor em parceria com o IBOPE, o estudo apontou também que o Brasil perde apenas para a Turquia quando o assunto é o desejo de empreender.

                                            Gráfico - Povos X Preferência pelo próprio negócio




Acompanhe a cobertura via twitter no http://twitter.com/blogrpepp
Curta o RP e PP no Facebook

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A Face do Empreendedorismo


Nas revistas de negócios ou nas colunas sociais dos jornais, quase que diariamente, surgem nomes de empresários de sucesso, executivos bem sucedidos ou profissionais que se destacam transformando o habitual em novos conceitos. Costuma aparecer, junto à foto e a assinatura desses seres imaculados e quase divinos uma palavra, simples e com um significado muito amplo, que os define: EMPREENDEDOR. Mas alguém ai sabe me dizer com clareza, o que é um empreendedor ? Vamos ao dicionário. 

Empreendedor

em.pre.en.de.dor

adj (empreender+dor2) 1 Que empreende. 2 Que se aventura à realização de coisas difíceis ou fora do comum; ativo, arrojado. sm 1 Aquele que empreende. 2 Aquele que toma a seu cargo uma empresa. 


Acho que todo leitor desse tipo de página, após a leitura, para e por um instante, pensa: "Poxa, quero ser assim algum dia... ". É engraçado que poucas pessoas param pra pensar no que os tais empreendedores tiveram que passar para chegarem no ‘Olimpo Profissional’, onde, merecidamente, são exaltados e aplaudidos. Mais inusitado ainda é pensar que esses caminhos percorridos por eles não foi nem um pouco fácil... 



Luiza Helena Trajano
Imagine uma balconista de uma pequena loja do interior de São Paulo, com 1,5m de altura, sotaque caipira e pouco menos de 18 anos na década de 70. Quais seriam suas perspectivas? Até onde você desejaria chegar? Luiza Helena Trajano sabia onde pisar. E mesmo tendo abandonado os estudos aos 12 anos para trabalhar, chegou à direção e superintendência daquela até então pequena loja e foi peça fundamental para tornar a Magazine Luiza a melhor empresa para se trabalhar no Brasil, com mais de 4000 funcionários, 159 lojas e um faturamento aproximado de 850 milhões de reais.

"Senoura" na infância

Agora faça outra viagem, dessa vez até sete décadas atrás. Seu nome é Senor. Isso mesmo, S-E-N-O-R
Você é filho de um viciado em jogo e uma dona de casa extremamente severa, pai grego, mãe turca. Você não gosta nem um pouco de estudar, e ao invés de ir pra escola prefere ganhar dinheiro apostando na sinuca. E seu futuro? Será que você teria um?

Quem diria hein, Senor... Talvez o segredo tenha sido a mudança de nome... 

Silvio Santos é, com certeza, o homem mais conhecido e mais admirado do país, dono de um império construído com muito talento, trabalho, um pouco de sorte (claro!) e com seu nome escrito como um dos protagonistas da história da TV brasileira.



Enfim, o que se conclui é que um empreendedor não é aquele que estuda cinco anos numa faculdade, faz zilhões de cursos e MBA’s, mas não tem coragem para ser ‘ativo e arrojado’ ou não ‘se aventura à realização de coisas difíceis ou fora do comum’. Um empreendedor só se torna bem sucedido quando acredita e tem vontade de ir além com seus sonhos. E sonha. 


Esses foram apenas dois de milhares de exemplos. Seja o Próximo!




Este texto é de:
Rochel Rodrigues
Faz Relações Públicas na ESAMC Uberlândia.
Será apresentado à vocês leitores brevemente, pois será figura constante no RP e PP. 
Seja bem vindo garoto! 

Postagens mais antigas Página inicial

Copyright © RP e PP | Traduzido Por: RP e PP

Design by Maurity Cazarotti | Blogger Theme by RP e PP

}); //]]>